ERROS NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS: EVIDÊNCIAS E IMPLICAÇÕES NA SEGURANÇA DO PACIENTE

Andréa Tayse de Lima Gomes, Yole Matias Silveira de Assis, Micheline da Fonseca Silva, Isabelle Katherinne Fernandes Costa, Alexsandra Rodrigues Feijão, Viviane Euzébia Pereira Santos

Resumo


O estudo objetiva identificar as evidências e as implicações dos erros na administração de medicamentos na segurança do paciente. Trate-se de uma revisão integrativa, com busca dos estudos em quatro bases de dados, em maio de 2015. Obteve-se uma amostra de 40 artigos e foram submetidos à estatística descritiva. Houve predomínio de estudos descritivos – nível de evidência 4 (n=28; 70%), publicados no Brasil (n=17; 42,5%). Quanto aos erros, destacaram-se: erro de dosagem (n=27; 67,5%), medicação errada (n=25; 62,5%); troca de paciente (n=21; 52,5%); erro de horário (n=20;5 0%); via errada (n=17;42,5%), além de erro documental, omissão de justificativas quando necessário e outras. Este tipo de evento é responsável por deixar sequelas irreparáveis nos pacientes ou até levar à morte.


Palavras-chave


Erros de medicação; Segurança do paciente; Enfermagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v21i3.44472 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133