PROTOCOLOS CLÍNICOS NA ORIENTAÇÃO DE PESSOAS COM DOENÇA CRÔNICA

Maria de Fátima Mantovani, Juliana Perez Arthur, Ângela Taís Mattei, Elis Martins Ulbrich, Luciana Puchalski Kalinke

Resumo


Estudo qualitativo, realizado em três etapas no período de 2012 a janeiro de 2014, com o objetivo de verificar a utilização dos protocolos clínicos na orientação das pessoas com doenças crônicas. A primeira coleta foi na alta hospitalar, a segunda no domicílio com 12 meses e a terceira com 24 meses. A amostra foi de 20 adultos hipertensos e/ou diabéticos internados em Hospital de Ensino de Curitiba, Brasil. A análise dos dados permitiu a formação de três categorias: “Conhecimento sobre a doença”, “Cuidados em relação à doença” e “Barreiras para a adesão ao tratamento”. Identificou-se que as orientações, mediante uso dos protocolos clínicos, propiciaram a melhora do conhecimento da doença e dos cuidados desenvolvidos pelos participantes. Conclui-se que o uso dos protocolos é uma estratégia de educação em saúde para as pessoas com doenças crônicas, eles viabilizam o cuidado sendo possível visualizar o progresso e as dificuldades encontradas.

Palavras-chave


Enfermagem; Doença crônica; Protocolos clínicos; Educação em saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v20i4.43077 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536