PERFIL DE MORBIMORTALIDADE DE RECÉM-NASCIDOS DE RISCO

Christine Baccarat de Godoy Martins, Ariane Aguillar Barcelon, Fernanda Cristina Aguiar Lima, Maria Aparecida Munhoz Gaíva

Resumo


Estudo descritivo analisou o perfil de morbimortalidade, nos seis primeiros meses de vida, entre neonatos de risco
nascidos em Cuiabá – Mato Grosso, em janeiro de 2011. As fontes de dados foram Declaração de Nascido Vivo e inquérito
domiciliar após seis meses do nascimento. O estudo foi aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa e as famílias assinaram o
Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Foram estudados 113 recém-nascidos, 70,8% apresentaram morbidade no primeiro
semestre de vida, principalmente doenças respiratórias e diarreicas; a morbidade foi maior entre recém-nascidos cujas mães não
trabalhavam fora, adolescentes e que amamentaram por pouco tempo; 5,3% das crianças faleceram, sendo 83,3% no período
neonatal; os óbitos ocorreram mais entre recém-nascidos com baixo peso ao nascer, prematuros, cujas mães não trabalhavam
fora. Espera-se que os resultados subsidiem políticas específicas de atenção ao grupo de recém-nascidos vivos de risco.


Palavras-chave


Recém-nascido, Grupos de risco, Morbidade infantil, Mortalidade infantil.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v19i1.35966 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133