A PERCEPÇÃO DAS FAMÍLIAS SOBRE A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DA CRIANÇA

Ana Paula Pereira Fernandes, Ana Maria Cosvoski Alexandre, Ana Paula Dezoti, Verônica Azevedo Mazza

Resumo


Pesquisa descritiva, qualitativa com o objetivo de compreender, a partir da percepção das famílias, a organização e as
práticas de cuidado à criança na atenção primária à saúde; foi desenvolvida com 45 representantes de famílias de crianças de 0 a 5
anos, inscritas nos programas de três unidades de saúde de um município da região metropolitana de Curitiba- Paraná. Os dados foram
coletados de setembro de 2008 a fevereiro de 2009, por meio de três grupos focais e analisados segundo análise temática categorial.
Emergiram três categorias empíricas: Acesso aos serviços de saúde; Integralidade; eAcolhimento. Na percepção das famílias há questões
favoráveis em relação à reformulação das práticas dos programas para a saúde da criança. Entretanto, referem barreiras de acesso
decorrentes de questões de organização dos serviços para a população fora destes programas. Portanto, considera-se imprescindível
a participação das famílias no planejamento das ações de atenção à saúde da criança.


Palavras-chave


Enfermagem; Saúde da criança; Família; Atenção primária à saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v19i1.35957 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133