PRÁTICAS CONTRACEPTIVAS E PREVENÇÃO DE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS ENTRE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM

Lillia Michely Nunes Abreu, Anamária Serra Tavares

Resumo


Este estudo descritivo com abordagem quantitativa teve por objetivos investigar as condutas e práticas de contracepção e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis entre acadêmicos de enfermagem, identificar os métodos contraceptivos utilizados e descrever comportamentos de risco. Os dados foram obtidos através de questionário aplicado a 135 estudantes entre maio e junho de 2011, e analisados pela estatística descritiva com frequência absoluta e porcentagem. A amostra foi constituída, em sua maioria, por jovens do sexo feminino, solteiros e com idade entre 20 a 23 anos. O preservativo masculino e o anticoncepcional oral foram os métodos mais relatados, usados separadamente ou combinados. Verificou-se precocidade das relações sexuais e práticas sexuais isentas do uso de preservativo, o que resultou em 5,9% dos estudantes que contraíram doença sexualmente transmissível. Constatou-se que acadêmicos de enfermagem apresentam precariedade de condutas contraceptivas e de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. 

Palavras-chave


Anticoncepção; Comportamento sexual; Doenças sexualmente transmissíveis; Estudantes de enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v17i2.27890 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536