ABSENTEÍSMO NA ENFERMAGEM EM UTI NEONATAL: PERFIL DO PROFISSIONAL E MOTIVOS DAS AUSÊNCIAS

Ilana de Castro, Elizabeth Bernardino, Elaine Lorena Zen Ribeiro

Resumo


Estudo quantiqualitativo do tipo descritivo, realizado nos meses de agosto a setembro de 2006 em uma UTI

neonatal de Curitiba. Os objetivos foram descrever o perfil dos trabalhadores implicados no absenteísmo desta unidade e

identificar os motivos das ausências não previstas desses trabalhadores. A amostra foi constituída de 23 profissionais que

somaram 34 afastamentos. Foi aplicado um questionário com perguntas abertas e fechadas. Os dados quantitativos foram

apresentados em forma de tabelas e os qualitativos foram categorizados. Os resultados mostraram que 73% eram Auxiliares

de Enfermagem com idade entre 31 a 40 anos (47%), casada (68%), com filhos (68%) e com um emprego (76%). Os motivos

mais observados foram licença para cuidar da própria saúde (44%) e para cuidar de familiar (32%). Sugere-se que se estude

qual o impacto destas ausências, tanto na saúde dos trabalhadores como na assistência prestada.


Palavras-chave


Absenteísmo; Equipe de enfermagem; Unidades de terapia intensiva neonatal=pt; Absenteism; Nursing team; Neonatal intensive care units=en; Absentismo; Grupo de enfermería; Unidades de terapia intensiva neonatal=es

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v13i3.12969 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133