COMPREENSIBILIDADE EM L2: UMA DISCUSSÃO SOBRE O EFEITO DA EXPERIÊNCIA DO OUVINTE E DO TIPO DE MEIO EM EXCERTOS DO PORTUGUÊS BRASILEIRO PRODUZIDOS POR UM FALANTE HAITIANO

Jeniffer Imaregna Alcantara Albuquerque, Ubiratã Kickhöfel Alves

Resumo


Este trabalho investiga o efeito da experiência (com fala não nativa) de ouvintes brasileiros, bem como do tipo de meio (áudio ou áudio-vídeo) na compreensibilidade de excertos do Português Brasileiro produzidos por um aprendiz haitiano, do sexo masculino. O estudo foi conduzido com dois grupos de ouvintes brasileiros, com 20 participantes cada, sendo um composto por professores com experiência no ensino de português como língua adicional para haitianos (GP) e, o outro, por graduandos de um curso de Letras Português-Inglês, sem experiência com a fala de haitianos (GA). Entre os resultados estatísticos, testes Two-Way ANOVA inter-sujeitos demonstraram um efeito principal de experiência, i.e., o GP apresentou um maior índice de compreensibilidade quando comparado com o GA. No entanto, não foi encontrado um efeito principal de tipo de meio, e tampouco se verificou um efeito de interação entre as duas variáveis independentes (experiência e tipo de meio). A partir dos resultados, propõe-se uma reflexão teórico-metodológica sobre o conceito de ‘compreensibilidade’ de fala estrangeira que o entenda como propriedades compartilhadas entre falante e ouvinte, o que implica assumir que uma fala estrangeira passa por variáveis sociolinguísticas associadas a ambas as partes da interlocução.


Palavras-chave


Português como Língua Adicional; Aprendizes Haitianos; Compreensibilidade; Experiência; Multimodalidade da fala.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rvx.v12i2.51246

Revista X. ISSN: 1980-0614