Open Journal Systems

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA ESCALA NA OBTENÇÃO DOS ATRIBUTOS TOPOGRÁFICOS DERIVADOS DE MDE

Gisele Neuman, Claudinei Taborda da Silveira, Tony Vinicius Moreira Sampaio

Resumo


O presente trabalho propõe uma análise comparativa entre cinco modelos digitais de elevação (MDE’s), na estrutura de grade regular quadrangular, gerados a partir de bases de dados altimétricos de diferentes escalas e, por consequência, com distintas resoluções de grade. Foram utilizados como parâmetros três atributos topográficos derivados do MDE: elevação, declividade, plano e perfil de curvatura. A comparação de dados pontuais foi realizada através de regressão linear as quais serviram para verificação do relacionamento das variáveis através da representação contínua da superfície topográfica, empregando-se matrizes de confusão (índices de exatidão global e de erros - omissão e inclusão), correspondente as classes representadas na base cartográfica com melhor resolução espacial. Os resultados demonstraram que a redução da resolução espacial do MDE de entrada influencia substancialmente nos valores dos atributos topográficos, os quais tendem a concentrarem próximos de valores médios. Esse comportamento se apresenta na declividade, em vertentes com inclinações mais suavizadas, e no plano e perfil de curvatura em segmentos planares e retilíneos, respectivamente. É possível afirmar que a resolução dos modelos terá influência direta sobre os parâmetros morfométricos derivados, pois os valores de diferenças advêm da mensuração da variação espacial em função da utilização de matrizes de vizinhança. O refinamento da quantidade de informações interfere nos resultados da aplicação de funções polinomiais tornando as representações um desafio. Isto evidencia a necessidade de utilização de dados em escalas adequadas aos trabalhos a serem realizados, pois os MDE’s são importantes ferramentas de análise espacial.


Palavras-chave


declividade; plano de curvatura; perfil de curvatura; modelo digital de elevação

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO

Referências


BISPO, P. C.; VALERIANO, M. M.; KUPLICH, T. M. Variáveis geomorfométricas locais e sua relação com a vegetação da região do interflúvio Madeira-Purus (AM-RO). Acta Amazonica, v. 39, n. 01, p-81-90, 2009.

BUARQUE, D. C., FAN, F. M., PAZ, A., & COLLISCHONN, W. Comparação de métodos para definir direções de escoamento a partir de modelos digitais de elevação. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, n 14, p.91-103, 2009.

CÁTEN, A.; DALMOLIN, R. S. D.; RUIZ, L. F. C.; SEBEM, E.; PEREIRA, R. S. Pedometria aplicada à predição de classes de solos utilizando de regressões logísticas múltiplas. In: XIV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 2009, Natal. Anais Natal: INPE, p. 25-30, 2009.

CAMBOIM, S.P.; SLUTTER, C.R.; MENDONÇA, A.; JORGE, M.T.E. Mapeamento Sistemático: a base para as infraestruturas nacionais de dados espaciais. In: II SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS GEODÉSICAS E TECNOLOGIAS DA GEOINFORMAÇÃO. Recife/PE, 8-11 de setembro de 2008. CENTENO, J. A. S. Sensoriamento Remoto e Processamento de Imagens Digitais. Departamento de Geomática da Universidade Federal do Paraná : Curitiba, 2003. 210p.

CHAGAS, C. S., Mapeamento digital de solos por correlação ambiental e redes neurais em uma bacia hidrográfica no domínio de mar de morros. Tese (Doutorado). Viçosa, 2006, Universidade Federal de Viçosa.

CHAGAS, C. S., FERNANDES FILHO, E. I., ROCHA, M. F., CARVALHO JÚNIOR, W. D., SOUZA NETO, N. C. Avaliação de modelos digitais de elevação para aplicação em um mapeamento digital de solos. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, n. 2, p. 218-226, 2010.

EMBRAPA -EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília, Serviço de Produção de Informação, 1999.

ESRI. ArcGis. versão 10.1. Environmental Systems Research Institute, 2012.

EVANS, I.S. General geomorphometry, derivatives of altitude and descriptive statistics. In SPATIAL ANALYSIS IN GEOMORPHOLOGY. London, Harper &Row, 1972. pp. 17–90FERREIRA, W. P. M., VALLADARES, G. S., & HOTT, M. C. Estimativa da Temperatura Média Mensal do Ar para os Estados de Minas Gerais e do Pará, utilizando-se Modelos Digitais de Elevação. Engenharia na Agricultura, Viçosa, MG, v.14, n.4, 293-303, 2006 .

FLORINSKY, I. V., EILERS, R. G., MANNING, G.R., FULLER, L.G. Prediction of soil properties by digital terrain modelling. Environmental Modelling & Software, n 17,p 295-311, 2002.

GOMES, R.; GUIMARÃES, R; CARVALHO, O; FERNANDES, N; AMARAL, E. Combining Spatial Models for Shallow Landslides and Debris-Flows Prediction. Remote Sensing, v. 5, p. 2219-2237, 2013.

GROHMANN, C.H. Introdução à Análise Digital de Terreno com GRASS-GIS. Instituto de Geociências. São Paulo: USP, 2007.

GROHMANN, C.H.; RICCOMINI, C.; STEINER, S.S. Aplicações dos Modelos de Elevação SRTM em Geomorfologia. Revista Geografia Acadêmica, v.2, n.2, p. 73-83, 2008.

GUIMARÃES, R. F.; MONTGOMERY, D.R; GREENBERG, H.; FERNANDES, N; GOMES, R. A.T; CARVALHO JÚNIOR, O,A. Parameterization of Soil Properties for a Model of Topographic Controls on Shallow Landsliding: Application to Rio de Janeiro. Engineering Geology, Holanda, v. 69, p. 99-108, 2003.

GUTELIUS, B.: Engineering Applications of Airborne Scanning Lasers: Report from the Field. Photogrammetric Engineering and Remote Sensing v.64 n64, pp.246-253, 1998.

HENGL, T. Finding the right pixel size. Computers & Geosciences, v. 32, n. 9, p. 1283-1298, 2006.

HORN, B. K. P. Hill shading and the reflectance map. Proceedings of the IEEE, n.69, v.01, p. 14-47, 1981.

HUTCHINSON, M. F. Calculation of hydrologically sound digital elevation models. Paper presented at Third International Symposium on Spatial Data Handling at Sydney, Australia, 1988.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1992. Mapeamento Topográfico Sistemático, Folha MI2842-3 (Escala 1:50.000).

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual Técnico de Pedologia, 2007.

IPPOLITI, G. A.; COSTA, L.M.; SCHAEFER, C. E .G. R.; FERNANDES FILHO, E. I.;GAGGERO, M. R.; SOUZA, E. Análise digital do terreno: ferramenta na identificação de pedoformas em microbacia na região de “Mar de Morros” (MG). Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.29, p.269-276, 2005.

JACOBI, L. F.; SOUZA, A. M.; PEREIRA, J.E. Gráfico decontrole de regressão aplicado na monitoração de processos. Revista Produção, v. 12, n. 1, p. 46-59, 2002.JENESS, J. DEM Surface Tools. Jenness Enterprises: Flagstaff, USA, 2012. Disponível em: https://goo.gl/TTWPF1

NEUMAN,G., SILVEIRA, C.T., SAMPAIO, T.V.ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA ESCALA NA OBTENÇÃO DOS ATRIBUTOS TOPOGRÁFICOS DERIVADOS DE MDE197JONES, K.H. A comparison of algorithmsused to compute hill slope as a property of the DEM. Computers& Geosciences, v. 24, n. 4, p. 315-323, 1998.

KIENZLE, S. The effect of DEM raster resolution on first order, second order and compound terrain derivatives .Transactions. In: GIS, v. 8, n. 1, p. 83-111, 2004.Li, Z.; ZHU, Q.; GOLD, C..Digital terrain modeling: principles and methodology. CRC, 2010.

MAACK, R..Geografia física do Estado do Paraná. Banco de desenvolvimento do Paraná, 1968.

MINEROPAR. Atlas geológico do Estado do Paraná. Minerais doParaná; Curitiba, 2001.

MINEROPAR. Atlas geomorfológico do Estado do Paraná. Escala1:250.000 modelos reduzidos base , 1:500.00. Minerais do Paraná; Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2006.

MIRANDA, J.I. Fundamentos de sistemas de informações geográficas. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2005. 425p.

MONTGOMERY, D. R. Predicting landscape-scale erosion using digital elevation models. Comptes Rendus Geoscience. Paris, v. 335, p. 1121-1130, 2003.

MOORE, I. D.; GESSLER, G.A.; PETERSON, G.A. Soilattribute prediction using terrain analysis.Soil Science Society of America Journal, v.57, p.443-452, 1993.

NASA –NATIONAL AERONAUTICS AND SPACE ADMINISTRATION. Digital topographic, Shutte Radar Topography Mission.Escala 1:100.000, 2000.

NOWATZKI, A. Utilização de atributos topográficos no mapeamento preliminar de solos da Bacia Hidrográfica do Rio Pequeno (Antonina/PR). Curitiba, 2013 (Dissertação de Mestrado –Universidade Federal do Paraná).

PENNOCK, D. J.; ZEBARTH, B. J.; JONG, E. Landform classification and soil distribution in hummocky terrain, Saskatchewan, Canada. Geoderma, v. 40, n. 3, p. 297-315, 1987.PENNOCK, D. J. Terrain attributes, landform segmentation, and soil redistribution. Soil and Tillage Research,v. 69 (1–2), p. 15-26, 2003.

PINHEIRO, H. S. K. BARBOSA, A. M. DOS ANJOS, L. H. C., DE CARVALHO JÚNIOR, W., DA SILVA CHAGAS, C. Avaliação de diferentes fontes de dados na obtenção do modelo digital de elevação para mapeamento digital dos solos da bacia hidrográfica do Rio Guapi-Macacu, RJ. Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 15 (SBSR), p. 9136-9143, 2011.

PEREIRA, J. G.; PEREIRA, L. E.. Uso de imagens CBERS 2B e dados SRTM no mapeamento de áreas de vulnerabilidade ambiental na cidade de Corumbá-MS.Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 15 (SBSR), p. 2628-2635, 2011.

PIKE, R.J. A bibliography of terrain modeling (geomorphometry), the quantitative representation of topography.USGS, p 02-465, 1995.

PIKE, A. C., MÜELLER, T. G., MIJATOVIC, B., KOOSTRA, B. K., POULETTE, M. M.,PREWITT, R. M., SHEARER, S. A. Topographic Indices: Impact of Data Source. Soil Science, Nº171, p 800-809, 2006.

PINHEIRO, H. S. K., DA SILVA CHAGAS, C., DE CARVALHO JÚNIOR, W., DOS ANJOS, L. H. C. Modelos de elevação para obtenção de atributos topográficos utilizados em mapeamento digital de solos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 47, n. 9, p. 1384-1394, Set/2012.

RAAFLAUB, L.D.; COLLINS, M.J. The effect of error in gridded digital elevation models on the estimation of topographic parameters. Environmental Modelling& Software, v. 21, n. 5, p. 710-732, 2006.

RIBEIRO, C. A. A. S., SOARES, V. P., OLIVEIRA, A. M. S., & GLERIANI, J. M. O desafio da delimitação de áreas de preservação permanente. Revista Árvore, nº 29, p 203-212, 2005.

SALAMUNI, E.; EBERT, H. D.; HASUI, Y. Morfotectônica da bacia sedimentar de Curitiba. Brazilian Journal of Geology, v. 34, n. 4, p. 469-478, 2008.

SHARY,P.A.; SHARAYA, L.S.; MITUSOV, A.V. Fundamental quantitative methods of land surface analysis. Geoderma, v. 107, n. 1, p. 1-32, 2002.

SAMPAIO, T.V.M.; AUGUSTIN, C.H.R.R. Índice de concentração da rugosidade: uma nova proposta metodológica para o mapeamento e quantificação da dissecação do relevo como subsídio a cartografia geomorfológica. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 15, n. 1, 2014.

SCHMIDT, J. ANDREW,R. Multi-scale landform characterization. Area 37, p.341-350, 2005.SCHMIDT, J.; DIKAU, R. Extracting geomorphometric attributes and objects from digital elevation models semantics, methods, future needs. In: DIKAU, R.; SAURER, H. (Eds.), GIS for Earth Surface Systems. Analysis and Modelling of the Natural Environment. Schweizbart’sche erlagsbuchhandlung, pp. 153–173, 1999.

SHARY, P.A., SHARAYA, L.S., MITUSOV, A.V. Fundamental quantitative methods of land surface analysis. Geoderma, v. 107 (1–2), p. 1-32, 2002.

SILVEIRA, C.T. Análise digital do relevo na predição de unidades preliminares de mapeamento de solos. Tese de Doutorado. Departamento de Geografia, UFPR, 2010.

SILVEIRA, C.T., FIORI, A. P., FERREIRA, A. M., FELIPE, R. D. S., KEPEL FILHO, J. L., FOLADOR, R. M., COSTA, L. C.. Análise do fator de segurança da estabilidade das vertentes na bacia do rio Jacareí, Serra do Mar Paranaense. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 13, n. 3, 2012a

SILVEIRA, R.M.P; SILVEIRA, C.T.; OKA-FIORI, C. Análise digital do relevo empregada no mapeamento de unidades geomorfológicas. Revista Geografar, v. 7, n. 2, 2012b.

SILVEIRA, C.T. OKA-FIORI, C.; SANTOS, L. J. C; SIRTOLI, A. E.; SILVA, C. R. Pedometria apoiada em atributos topográficos com operações de tabulação cruzada por álgebra de mapas. Revista Brasileira de Geomorfologia,v. 13, n. 02, p. 125–37, 2012c.

SILVEIRA, C.T. OKA-FIORI, C.; SANTOS, L. J. C; SIRTOLI, A. E.; SILVA, C. R.; BOTELHO, M. F. Soil prediction using artificialneural networks and topographic attributes. Revista Geoderma,v. 195-196, p. 165–172, 2013A.

SILVEIRA, C.T.; FIORI, A.P.; FERREIRA, A.M.; GÓIS, J.R.; MIO, G.; SILVEIRA, R.M.P.; MASSULINI, N.E.B.; LEONARDI, T.M.H.; Emprego de atributos topográficos no mapeamento da susceptibilidade a processos geoambientais na bacia do Rio Jacarei/Paraná. Revista Sociedade e Natureza, Uberlândia, vol. 25, n. 3, p. 623-639, 2013b.

SILVEIRA, C. T., FIORI, A.P., SCHILIPACK, P., DIAS, S.M. Mapeamento Preliminar da Suscetibilidade Natural a Movimentos de Massa da Serra do Mar Paranaense Apoiado na Análise Digital do Relevo. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 15, n. 1, 2014.

SIQUEIRA, L. G. P., Controle estatístico do processo, São Paulo:Pioneira, 1997. 130p.

SIRTOLI, A. E.; SILVEIRA, C. T.; MONTOVANI, L. E.; SIRTOLI, A. R. A.; OKA-FIORI, C. Atributos do relevo derivados de modelo digital de elevação e suas relações com solos. Scientia agraria, v.9, n.3, p.317-329, 2008.

SOPCHAKI, C.H; Influência do N amostral e das características do relevo na qualidade de modelos digitais do terreno. Tese (Doutorado). Curitiba, 2016, UFPR.

STABACH, G.P. Base Laser Scan. Escala 1:1.000. In: Emprego de MDE e MDT obtido por levantamento aéreo com sistema laser scanner na obtenção de elementos superficiais e atributos topográficos. Monografia de Graduação. Departamento de Geografia, UFPR, 2013.

SUDERHSA -Superintendêcnia de desenvolvimento de recursos hídricos e saneamento. Cartas topográficas.Escala 1:10.000, 2000.

TANG, G. YANG W, QIN H. . An Application of Using GIS Technology to Return Hillside Cultivated Land for Forestry and Grassland in Loess Plateau Region. Bulletin of Soil and Land Water Conservation, nº22, p 46–50, 2002.

TEZA, C.T.V; BAPTISTA, G.M.M. Identificação do fenômeno ilhas urbanas de calor por meio de dados ASTER–KineticTemperature (III): metrópoles brasileiras. Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 12 (SBSR), p. 3911-3918, 2005.

THOMPSON, J.A.; BELL, J.C.; BUTLER, C.A. Digital elevation model resolution: effects on terrain attribute calculation and quantitative soil-landscape modeling. Geoderma, v. 100, n. 1, p. 67-89, 2001.

TOBLER, W, R. Analytical cartography. The American Cartographer. P. 21-3, 1976.VALERIANO, M. M. Dados topográficos. In: FLORENZANO, T. G Geomorfologia: conceitos e tecnologias atuais. São Paulo: Oficina de textos, 2008. p.72-104.

VALERIANO, M. M. Modelo digital de elevação com dados SRTM disponíveis para a América do Sul . Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. São José dos Campos, 2004. Disponível em: http://150.163.34.249/col/sid.inpe.br/sergio/2004/06.30.10.57/doc/publicacao.pdfVALERIANO, M. M.;

ROSSETTI, D. F. Topodata: Brazilian full coverage refinement of SRTM data. Applied Geography (Sevenoaks), v. 32, p. 300-309, 2011.

WARREN, S. D., HOHMANN, M. G., AUERSWALD, K., MITASOVA, H. An evaluation of methods to determine slope using digital elevation data.Catena,.v. 58, n. 3, p. 215-233, 2004.

WILSON, J. P.; GALLANT, J. C. Digital terrain analysis, chapter 1. In: Wilson, J. P.; Gallant, J. C. (eds.). Terrain analysis: principles and applications. New York: John Wiley & Sons, p.1-27, 2000.WOOD, J. Visualizing Geomorphometry: Lessons from Information Visualization. Proceedings of Geomorphometry, Zurich, Switzerland, p. 9-12, 2009.

ZEVENBERGEN, L. W.; THORNE, C.R. Quantitative analysis of land surface topography. Earth surface processes and landforms, v. 12, n. 1, p. 47-56, 1987.

ZHANG, W.; MONTGOMERY, D.R. Digital elevation model grid size, landscape representation, and hydrologic simulations. Water resources research, v. 30, n. 4, p. 1019-1028, 1994.

ZHOU, Q.; LIU, X.. Analysis of errors of derived slope and aspect related to DEM data properties.Computers& Geosciences, v. 30, n. 4, p. 369-378, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v43i0.56278