n. 23 - POLÍTICA DE INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA/MG: DISCURSO E SUA PRÁTICA, NA VISÃO DE SEUS AGENTES EXECUTORES

Nathália Dias Pereira Alves Oliveira, Maria das Dores Saraiva de Loreto

Resumo


Este artigo buscou caracterizar a Política de Cotas para deficientes da Universidade Federal de Viçosa, considerando o que preconiza o discurso legal e sua prática vivenciada pelos agentes executores. No percurso metodológico da pesquisa, foi realizada pesquisa bibliográfica e documental, conjugada com entrevistas com representantes de setores estratégicos da instituição, buscando responder questões relativas aos processos de adesão e implementação da política. Os resultados mostraram que a instituição teve êxito na adesão à política, mesmo diante de restrições orçamentárias e limitação de recursos humanos qualificados para atuarem no seu funcionamento. Concluiu-se que essa política, de natureza top-down, apesar de seus desafios, é de extrema importância para a instituição e para a sociedade, uma vez que busca incluir pessoas que historicamente foram excluídas de diversos espaços sociais.


Palavras-chave


Política de Cotas, Deficiente, Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, J. A.; MARQUES, V. Gestão de pessoas com deficiência: um olhar da psicologia. Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende, Rio de Janeiro, v. 4, p. 1-14, 2007.

BARRETO, L. P. S. J.; ALMEIDA, M. S. P. Deficiência e Universidade: um estudo sobre inclusão e superação através do Tempo e alguns casos na Faculdade Sete de Setembro. Rios Eletrônica - Revista Científica da FASETE, ano 8, n. 8, p. 47-65, 2014.

CASTRO, S. F. Ingresso e permanência de alunos com deficiência em universidades públicas brasileiras. 2011. 278f. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Centro de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Educação Especial – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011.

DAFLON, V. T.; FERES JÚNIOR, J.; CAMPOS, L. A. Ações afirmativas raciais no ensino superior público brasileiro: um panorama analítico. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 148, p. 302-327, 2013.

DEL GIÚDICE, J. Z. A. Programa de Assistência Estudantil da Universidade Federal de Viçosa/MG: Repercussões nos Indicadores Acadêmicos e na Vida Pessoal, Familiar e Social dos Beneficiários. 2013. 156f. Dissertação (Mestrado em Economia Doméstica). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.

DIAS, R.; MATOS, F. Políticas Públicas: Princípios, Propósitos e Processos. São Paulo: Atlas, 2012.

DIAS, S. M. B.; DA COSTA, S. L. A permanência no ensino superior e as estratégias institucionais de enfrentamento da evasão. Jornal de Políticas Educacionais, v. 9, n. 17/18, p. 51-60, 2016.

FELIPE, J. P. Inclusão nas novas instituições de ensino. In: ZIMERMAN, A. (org). Ações afirmativas e a educação para pessoas com deficiência. Santo André: Universidade Federal do ABC, 2013. p. 20-44.

FERNANDES, L. I. A inclusão educacional de pessoas com deficiência nas universidades federais sob a perspectiva da lei 13.409/2016. Revista ÎANDÉ Ciências e Humanidades. São Bernardo do Campo, v. 2, n. 3, p. 45 - 57, 2019.

FERREIRA, S. L. Ingresso, permanência e competência: uma realidade possível para universitários com necessidades educacionais especiais. Rev. bras. educ. espec., Marília, v. 13, n. 1, p. 43-60, 2007.

FREITAS, N. K. Inclusão socioeducativa na escola: avaliação do processo e dos alunos. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n. 60, p. 323-336, 2008.

LIMONTI, R. M.; PERES, U. D.; CALDAS, E. L. Política de fundos na educação e desigualdades municipais no estado de São Paulo: uma análise a partir das arenas políticas de Lowi. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 48, n. 2, p. 389-409, 2014.

MAGALHÃES, J. C. Gestão da política de Cotas em Instituições Federais de Ensino Superior: Estudo da Universidade Federal de Goiás. 2019. 174 f. Dissertação (Mestrado em Administração Pública). Universidade Federal de Goiás, 2019.

MARQUES, E. P. S.; ROSA, A. A.; OLIVEIRA, F. C. G. P. A Política Afirmativa para o acesso à Educação Superior no contexto do novo Plano Nacional de Educação (PNE) 2014-2024. TEXTURA - Revista de Educação e Letras, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Rio Grande do Sul, v. 21 n. 48, p. 95-116, 2019.

MARTINS, L. A. R. et al. (Orgs.). Práticas inclusivas no sistema de ensino e em outros contextos. Natal, RN: EDUFRN, 2009.

MIRANDA, F. D; SANTOS, J. F. Educação Inclusiva: uma análise das Políticas Públicas Educacionais Brasileiras Inclusivas, a partir de 1990. In: Silva, E, D; Nascimento, J. F. (Org.). Políticas Públicas Educacionais. Rio de Janeiro: Dictio Brasil, 2018. p. 52- 64.

NOGUEIRA, L. F. Z.; OLIVER, F. C. Núcleos de acessibilidade em instituições federais brasileiras e as contribuições de terapeutas ocupacionais para a inclusão de pessoas com deficiência no ensino superior. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v. 26, n. 4, p. 859-882, 2018.

NUNES, G. H. L. Autodeclarações e comissões: responsabilidade procedimental dos/as gestores/as de ações afirmativas. In: DIAS, G. R. M.; TAVARES JUNIOR, P. R. F. (Org.) Heteroidentificação e cotas raciais: dúvidas, metodologias e procedimentos. Canoas: IFRS Canoas, 2018. p. 11-30.

PASSADOR, C. S. Ciclo de Políticas Públicas. (Apresentação em Power Point), 2018. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/mod/resource/view.php?id=2453270. Acesso em: 26 mai. 2020.

PEREIRA, C. B. D. Políticas públicas de inclusão: desafios e benefícios da implementação da política de cotas para deficientes nas universidades federais. Revista ECCOM, São Paulo v. 11, n. 21, 2020.

PLETSCH, M. D.; MELO, F. R. L. V. Estrutura e Funcionamento dos Núcleos de Acessibilidade nas Universidades Federais da Região Sudeste. Revista Ibero-Americana de estudos em educação, Araraquara, v.12, n.3, p. 1610-1627, 2017.

RIBEIRO, D. M.; GOMES, A. M. Barreiras Atitudinais sob a ótica de estudantes com deficiência no ensino superior. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 13, n. 24, p. 13-31, 2017.

RODRIGUES, A. S. A educação inclusiva na perspectiva da teoria das representações sociais: Concepções de docentes e discentes do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais – Campus Salinas. 2010, 105 f. Dissertação (Mestrado em Ciências). Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2010.

SABATIER, P. A. Top-Down and Bottom-Up Approaches to Implementation Research: a Critical Analysis and Suggested Synthesis. Journal of Public Policy, Cambridge University Press, v. 6, n. 1, p. 21-48, 1986.

SASSAKI, R. K. Terminologia sobre deficiência na era da inclusão. Revista Nacional de Reabilitação, São Paulo, v.5, n.25, p.160-165. 2002.

SECCHI, L. Políticas Públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

SILVA, A. P. M.; ARRUDA, A. L. M. M. O Papel do Professor Diante da Inclusão Escolar. Revista Eletrônica Saberes da Educação, v. 5, n. 1, p. 1-29, 2014.

SILVA, J. S. S. Acessibilidade, barreiras e superação: estudo de caso de experiências de estudantes com deficiência no ensino superior. 2014, 242f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa - PB, 2014.

SILVA, V. C.; OLIVEIRA, K.S.; CARNEIRO, F.S.V.; AMORIM, C.M.F.G. O papel do professor na educação inclusiva de alunos surdos no Ensino Médio. Research, Society and Development, v. 9, n.1, p. 1-13, 2020.

SOUZA, S. R. C.; SILVA, J. E. O.; MELO, P. A.; SEEMANN, D. K.; AMANTE, C. J. Gestão universitária e acesso à universidade: sistema de cotas para pessoas com deficiência. Gestão Contemporânea, Porto Alegre, ano 10, n. 13, p. 165-180, 2013.

TOMELIN, K. N.; DIAS, A. P. L.; SANCHEZ, C. N. M.; PERES, J.; CARVALHO, S. Educação inclusiva no ensino superior: desafios e experiências de um núcleo de apoio discente e docente. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 35, n. 106, p. 94-103, 2018.

TORGAL, L. R.; ÉSTHER, A. B. Que universidade? Interrogações sobre os caminhos da universidade em Portugal e no Brasil. Juiz de Fora: Editora UFJF/Imprensa da Universidade de Coimbra, 2014.

TREVISOL, J.V; NIEROTKA, R. L. “Lei das Cotas” e as políticas de democratização do acesso ao ensino superior público brasileiro. Quaestio – Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, v. 17, n. 2, p.573-593, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v15i0.77410

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Publicado pelo Núcleo de Políticas Educacionais (NuPE) e pela linha de pesquisa em Políticas Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFPR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Published by Educational Policies Research Centre (NuPE) and by Educational Policy Research Group at Graduate Program in Education (PPGE / UFPR), Federal University of Paraná (UFPR), Brazil.

Publicado por el Núcleo de Política Educativa (NuPE) y por la línea de investigación en Políticas Educativas del Programa de Posgrado en Educación (PPGE / UFPR), de la Universidad Federal de Paraná (UFPR).

 Contatos: +55 41 35356264

E-mail: jpe@ufpr.br