n. 39 - CONDIÇÕES DE TRABALHO DOCENTE NO BRASIL: ENSAIO SOBRE A DESVALORIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Osni Oliveira Noberto da Silva, Theresinha Guimarães Miranda, Miguel Angel Garcia Bordas

Resumo


O objetivo deste artigo foi discutir a desvalorização dos docentes brasileiros, que trabalham na Educação Básica, a partir de uma análise das condições de trabalho docente, os antecedentes históricos, o arcabouço legal e as influências do neoliberalismo nas políticas de estado. O que podemos observar nas discussões com os autores e os dados apresentados é que existe uma defasagem entre o salário dos professores da educação básica no Brasil e a média dos profissionais das outras áreas. Há notáveis avanços na legislação educacional brasileira, com vistas a valorização do magistério e discussões sobre como fazer essa valorização, onde sempre o salário entra na discussão como elemento central. Além disso foi possível inferir que existe uma relação direta entre a qualidade do salário dos professores e sua valorização perante a sociedade, gerando efeitos psicossociais positivos para ele, como satisfação, motivação e consequentemente afetando diretamente na qualidade do trabalho executado e na melhoria da educação de forma geral. Assim, os professores e entidades representativas devem manter a reivindicação da continua valorização profissional perante a sociedade, resgatando o interesse que outrora existia nos jovens em ser professor. Paralelamente é importante que mais textos acadêmicos como este precisam ser produzidos, inclusive com estudos de campo, por se tratar de um tema de extrema relevância para o desenvolvimento de qualquer nação.


Palavras-chave


Trabalho docente; Políticas educacionais; Neoliberalismo

Texto completo:

PDF

Referências


ABICALIL, Carlos Augusto. Piso Salarial: constitucional, legítimo, fundamental. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 67-80, jan./dez. 2008.

ADACHI, Ana Amélia Chaves Teixeira. Evasão e evadidos nos cursos de graduação da UFMG. 2009. 214 p. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte.

ASSUNÇÃO, Ada Ávila; OLIVEIRA, Dalila Andrade. Intensificação do trabalho e saúde dos professores. Educação e Sociedade. vol. 30, n. 107, pp. 349‐372, maio/ago. 2009.

BARBOSA, Andreza. Os salários dos professores brasileiros: implicações para o trabalho docente. 2011. 208 p. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

BASTOS, Remo Moreira Brito. Sistema Educacional Cubano: fatores explicativos e reprodutibilidade em outras formações sociais. Cadernos de Pesquisa: pensamento educacional. Curitiba, vol. 11, nº 27, janeiro-abril de 2016. p. 34-62.

BOUKOU, Jean Claude. Identites Professionnelles des Enseignant(e)s: Analyse des Situations et études comparatives entre le Congo-Brazzaville et le Congo-Kinshasa. 2017. 338 p. Thèse (Doctorat en Sociologie du travail) Conservatoire National des Arts et Métiers. Paris.

CARMO, Jefferson Carriello do. Considerações Sobre Processo de Produção Capitalista e a Precarização do Trabalho Docente na Escola. Quaestio: revista de estudos em educação, [S.l.], v. 12, n. 1, set. 2010.

CURY JÚNIOR, Célio Hely. A formação docente como estratégia de superação do precarizado trabalho docente. Revista Profissão Docente, Uberaba, v.6, n. 14, p. 67- 76, out/dez. 2006

FREITAS, Helena Costa Lopes de. Formação inicial e continuada: a prioridade ainda postergada. In: OLIVEIRA, Dalila Andrade; VIEIRA, Livia Maria Fraga (Org.). Trabalho na educação básica: a condição docente em sete estados brasileiros. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

HIRATA, Guilherme; OLIVEIRA, João Batista Araújo e; MEREB, Talita de Moraes. Professores: quem são, onde trabalham, quanto ganham. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Rio de Janeiro, v. 27, n. 102, p. 179-203, Mar. 2019.

LANCILLOTTI, Samira Saad Pulchério. Transformações Históricas do Processo de Trabalho Docente. Quaestio: revista de estudos em educação, [S.l.], v. 12, n. 1, set. 2010.

LIRA, Ildo Salvino de. A desvalorização do trabalhador docente brasileiro: o que dizem os documentos oficiais? Revista Profissão Docente. Uberaba, v. 13, n.29, p. 63-72, jul. dez, 2013.

MANCEBO, Deise. Agenda de pesquisa e opções teórico‐metodológicas nas investigações sobre trabalho docente. Educação e Sociedade. Campinas, vol. 28, n. 99, p. 466‐482, maio/ago. 2007.

MONLEVADE, João Antônio Cabral de. Valorização salarial dos professores: o papel do piso salarial profissional nacional como instrumento de valorização dos professores da educação pública básica. 2000, 307 p. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

OLIVEIRA, Lourival José de, PIRES, Ana Paula Vicente. Da precarização do trabalho docente no Brasil e o processo de reestruturação produtiva. Revista do direito público, Londrina, v.9, n.1, p.73-100, jan./abr.2014

SANT’ANA, Raquel Santos (Orgs.); LOURENÇO, Edvânia; NAVARRO, Vera, BERTANI, Iris; SILVA, José F.S. da. O Avesso do Trabalho II. 1.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

SANTOS, Betisabel Vilar de Jesus. Qualidade da educação: consensos e dissensos entre o discurso oficial e dos seus críticos. Interfaces Científicas – Educação, Aracaju, v.2, n.1, p. 71-81, out. 2013

SOUZA, Maria Verônica de. Profissão docente: história, condições de trabalho e questão salarial. Anais do 5º seminário nacional estado e políticas sociais. Unioeste, Cascavel. 9 a 12 de outubro de 2011.

TOH, Alain. Précarisation de la profession enseignante au primaire en Côte d’Ivoire. Formation et profession, 25(2), 20-34. 2017

TOSTES, Maiza Vaz et al. Sofrimento mental de professores do ensino público. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 42, n. 116, p. 87-99, jan. 2018.

UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Condiciones de trabajo y salud docente: estudios de casos em Argentina, Chile, Ecuador, México, Perú y Uruguay. Santiago de Chile: Oficina Regional de Educação para a América Latina e Caribe (OREALC), 2005.

VASQUES-MENEZES, I.; CODO, W.; MEDEIROS, L. O conflito entre o trabalho e a família e o sofrimento psíquico. In: CODO, W. (coord.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis-RJ: Editora Vozes, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v13i0.68301

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Publicado pelo Núcleo de Políticas Educacionais (NuPE) e pela linha de pesquisa em Políticas Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFPR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Published by Educational Policies Research Centre (NuPE) and by Educational Policy Research Group at Graduate Program in Education (PPGE / UFPR), Federal University of Paraná (UFPR), Brazil.

Contatos: +55 41 35356264

E-mail: jpe@ufpr.br