AS BASES TEÓRICAS E EMPÍRICAS PARA A DEFINIÇÃO DE UMA REGIÃO CULTURAL POMERANA NO SUL DO RIO GRANDE DO SUL

Karen Laiz Krause Romig, Sandro de Castro Pitano

Resumo


O artigo é resultado de uma pesquisa desenvolvida na perspectiva da geografia cultural que investigou a presença cultural dos pomeranos no Rio Grande do Sul, com o objetivo de definir a existência de uma região cultural pomerana no sul gaúcho, com base em um estudo teórico e empírico (entrevistas e observações de campo). Esta região foi definida teoricamente na geografia cultural pelo conceito de região, baseada na representação esquemática de Meinig (1965), sob a ótica do núcleo, domínio e franja. Nos procedimentos empíricos, levou-se em consideração as observações de campo que consistiram nas percepções dos autores sobre a paisagem cultural e as experiências do espaço vivido dos entrevistados. O artigo traz discussões referentes à geografia cultural, interligada com uma cultura específica, contextualizando ao leitor a imigração e adaptação do povo pomerano no Rio Grande do Sul, em que a adaptação desse povo e a perpetuação de seus hábitos culturais permanece até a atualidade, trazendo marcas para uma paisagem singular nesta região, que é aqui percebida por meio de uma análise teórica e empírica, buscando consistentemente a consolidação cartográfica de uma região cultural pomerana no sul do Rio Grande do Sul, levando em consideração temas norteadores da geografia cultural.


Palavras-chave


Geografia cultural; região cultural; Rio Grande do Sul.

Texto completo:

AUTORIZAÇÃO ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v15i1.71388



Revista Geografar ISSN: 1981-089X