Open Journal Systems

Literatura no currículo de Pedagogia: um território em disputa?

Diana Maria Leite Lopes Saldanha, Marly Amarilha

Resumo


Este artigo discute e analisa o ensino de literatura nos cursos de Pedagogia de 27 universidades federais brasileiras. Adota a abordagem descritiva-analítica. A leitura de literatura permanece um tema recorrente em discussões de âmbito educacional. É uma prática que permite a interação entre os sujeitos das diversas sociedades e colabora na constituição do ser humano. Partindo dessa assertiva, o ensino de literatura deve estar inserido nos currículos dos pedagogos, que são os primeiros professores de crianças. Os dados revelam que a maioria das universidades oferta a disciplina em caráter optativo, demonstrando a frágil presença da literatura na formação de professores e ratificando a ideia de currículo como território de poder e disputa. A oferta da disciplina como optativa não garante sua efetivação, pois depende de uma série de circunstâncias relacionadas à dinâmica das instituições, tornando-se um atalho. A análise de instituições das regiões Nordeste e Sudeste, delimitação deste artigo, demonstrou um número significativo de graduandos que deixam de cursar a disciplina, quando há a oferta como optativa. De fato, algumas universidades não têm condições de assegurar essa oferta e de proporcionar esse conhecimento teórico-metodológico aos graduandos. A lacuna deixada na formação repercutirá na atuação do futuro pedagogo. É preciso uma mudança de proposta curricular para legitimar e garantir um conhecimento que é fundamental na formação dos primeiros professores, mas tem percorrido atalhos para se efetivar.


Palavras-chave


Ensino de Literatura. Curso de Pedagogia. Currículo. Formação do leitor

Texto completo:

PDF