PÓS-FORDISMO E REFLEXOS NOS CONTRATOS DE TRABALHO

Murilo Carvalho Sampaio Oliveira

Resumo


O trabalho analisa os efeitos das mudanças econômicas e técnicas provenientes da organização toyotista e da reestruturação produtiva no contrato de trabalho. Trata-se de caracterizar tais fenômenos e seus reflexos no Direito Laboral como ensejadores da crise do emprego. Identificam-se-á a flexibilização, a precarização e a terceirização como estratégias das relações pós-fordistas de ataque ao contrato de trabalho. Ao final, apresentam-se algumas conclusões e indagações que clamam pela necessidade de se repensar o Direito do Trabalho sob o viés do princípio da dignidade humana e da proteção ao hipossuficiente.


Palavras-chave


Novas relações de trabalho; Crise do emprego; Perspectivas para o direito do trabalho

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rfdufpr.v43i0.7038

Revista da Faculdade de Direito UFPR. ISSN: 0104-3315 (impresso) 2236-7284 (eletrônico).