INCIDÊNCIA DE VOLUME DE LÍQUIDOS EXCESSIVO EM PACIENTES ADULTOS SOB CUIDADOS INTENSIVOS

Caroline Monteiro Bittencourt, Josefine Busanello, Jenifer Harter, Raquel Potter Garcia

Resumo


Objetivo: identificar a incidência do diagnóstico de enfermagem Volume de Líquidos Excessivo em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva, no período de três meses.
Método: estudo transversal, descritivo e exploratório, em Unidade de Terapia Intensiva da região sul do Brasil. Foram analisadas as características clínicas obtidas no prontuário e exame físico de 31 pacientes, admitidos entre março e maio de 2018, por distribuição de frequência, e análise bivariada com teste Qui-quadrado.
Resultados: 54,8% dos pacientes desenvolveram Volume de Líquidos Excessivo, prevalecendo as características definidoras: edema, hemoglobina e hematócrito diminuídos, anasarca e desequilíbrio eletrolítico. Comprometimento neurológico, ventilação mecânica, sedação e mais de quatro dias de internação foram evidenciados como principais fatores relacionados.
Considerações finais: este estudo contribui para a acurácia diagnóstica do Volume de Líquidos Excessivo dos pacientes internados em terapia intensiva e amplia a possibilidade de desenvolvimento deste diagnóstico de enfermagem.


Palavras-chave


Diagnóstico de Enfermagem; Incidência; Líquidos Corporais; Deslocamentos de Líquidos Corporais; Unidades de Terapia Intensiva.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v26i0.72689 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536