SÍNDROME DE BURNOUT EM PRECEPTORES E RESIDENTES VINCULADOS A PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA EM SAÚDE DA FAMÍLIA

Luana Silveira, Cristine Neves Bez, Erádio Gonçalves Júnior, Caroline Chechinel Peiter, Greici Capellari Fabrizzio, José Luís Guedes dos Santos

Resumo


Objetivo: identificar a presença de Burnout e seus fatores associados em preceptores e residentes
de Programas de Residência.
Método: estudo transversal realizado com 64 preceptores e residentes no contexto da Atenção
Primária à Saúde, de outubro a novembro de 2016. Utilizou-se formulário socioprofissional e o
questionário Maslach Burnout Inventory. Para análise dos dados, aplicaram-se os testes Exato de
Fisher e Kruskal-Wallis. Considerou-se o nível de significância de 5% (p<0,05).
Resultados: os participantes apresentaram sentimento de Incompetência Profissional, Desgaste
Emocional e Despersonalização moderados, com médias de 23,1; 17,5 e 4,1, respectivamente.
Evidenciou-se associação entre as dimensões do Maslach Burnout Inventory e a variável Distrito
Sanitário.
Conclusão: não foi identificada a presença de Burnout entre os participantes. No entanto, níveis
moderados de sentimento de incompetência profissional, desgaste emocional e despersonalização
podem influenciar negativamente a qualidade da assistência prestada. Esta pesquisa contribui para
o conhecimento pré-existente por envolver residentes e preceptores multiprofissionais.


Palavras-chave


Enfermagem de Atenção Primária; Atenção Primária à Saúde; Esgotamento Profissional; Internato e Residência; Síndrome de Burnout.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v25i0.67248 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133