ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL E ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO: UM ESTUDO DE COORTE

Debora Fernanda Vicentini Bauer, Rosângela Aparecida Pimenta Ferrari, Alexandrina Aparecida Maciel Cardelli, Ieda Harumi Higarashi

Resumo


Objetivo: analisar a orientação sobre amamentação durante a assistência gravídico-puerperal e o desfecho no aleitamento materno exclusivo.
Método: estudo de coorte prospectivo, de julho de 2013 a fevereiro de 2015, em município da região norte do Paraná com 300 puérperas e respectivos filhos. Os dados foram analisados por frequência, razão de prevalência e regressão e regressão de Poisson considerando significância de 5% (p=0,05).
Resultados: a orientação foi relatada em 52,3% dos pré-natais, 65,7% das salas de parto, 83% dos alojamentos conjuntos, 32% dos retornos puerperais e 38,6% das puericulturas. Apenas 22,3% mantiveram aleitamento materno exclusivo, média 3,44 meses (DP=2,1). A orientação na puericultura apresentou efeito protetor contra o desmame precoce (p=0,004), mas foi insuficiente nas diversas fases da assistência gravídico-puerperal.
Conclusão: o estudo contribuiu para identificar que a orientação profissional para promoção do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida não atende às recomendações ministeriais para que se reduza o desmame precoce.


Palavras-chave


Aleitamento Materno; Orientação; Assistência à Saúde; Desmame; Pessoal de Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v24i0.56532 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133