SEPARAÇÃO DA MULHER E SEU ACOMPANHANTE NO NASCIMENTO POR CESÁREA: UMA VIOLAÇÃO DE DIREITO

Adaiana Fátima Almeida, Odaléa Maria Brüggemann, Roberta Costa, Carolina Frescura Jungues

Resumo


Objetivou-se desvelar a experiência da mulher e seu acompanhante que tiveram o direito de compartilhar o nascimento de seu filho violado. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratório-descritiva. Foram entrevistadas 13 puérperas e seus companheiros, de janeiro a julho de 2016. A análise se deu através da análise de conteúdo com o auxílio do software Atlas.ti 7.0. São apresentados em três categorias:  Experiência da mulher em não ter acompanhante na sala cirúrgica; Experiência do acompanhante em aguardar o nascimento sozinho; e o Poder dos profissionais de saúde sobre a cena do nascimento. O estudo evidenciou que os sentimentos negativos estiveram presentes na sala cirúrgica, a mulher sentiu-se desamparada sem a presença de seu acompanhante. O companheiro sentiu-se decepcionado por não vivenciarem o nascimento do filho. O principal fator para essa separação foi a atitude dos profissionais de saúde que ainda impedem a presença do acompanhante na sala cirúrgica.


Palavras-chave


Enfermagem obstétrica; Cesárea; Apoio social; Parto Humanizado.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i1.53108 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133