O CONHECIMENTO DOS PAIS QUANTO AO PROCESSO DO CUIDAR POR MEIO DO BRINCAR

Aderlaine da Silva Sabino, Arinete Véras Fontes Esteves, Ana Paula Pessoa de Oliveira, Marcos Vinícius Gusmão da Silva

Resumo


Objetivo: verificar a percepção dos pais e/ou responsáveis legais de crianças hospitalizadas sobre a atividade do brincar como uma dimensão do cuidado de Enfermagem. Método: estudo qualitativo, descritivo, exploratório e prospectivo, baseado na análise categorial temática. Realizou-se entrevista semiestruturada em um Hospital Infantil de referência do Amazonas, no mês janeiro de 2016. Participaram 22 pais com idade entre 18 e 50 anos. Da análise, emergiram as categoriais temáticas “Significado da brincadeira e brincar”, “Importância do brinquedo durante a prática do brincar para a criança hospitalizada” e “O cuidar brincando”. Resultados: os pais reconheceram a importância do brincar durante o processo de cuidar em ambiente pediátrico, mas não visualizaram a atividade inserida no plano de cuidado dos profissionais de modo que a singularidade da criança seja respeitada em sua integralidade nesse sentido. Conclusão: há a necessidade de capacitar e sensibilizar os profissionais para utilizar o brincar em sua prática assistencial.


Palavras-chave


Enfermagem; Família; Criança hospitalizada; Ludoterapia; Cuidado da criança.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i2.52849 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133