PERCEPÇÃO DA ENFERMEIRA OBSTETRA ACERCA DA VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA

Sarah Yasmin Pinto Leal, Vera Lúcia de Azevedo Lima, Andrey Ferreira da Silva, Patrícia Danielle Feitosa Lopes Soares, Luzia Ribeiro Santana, Álvaro Pereira

Resumo


Objetivo: conhecer a percepção de enfermeiros obstetras acerca da violência obstétrica. Método: Estudo exploratório, com abordagem qualitativa, realizada com 19 enfermeiras que atuavam no Centro Obstétrico, Pré-parto, Parto e Pós-parto de um hospital de referência materno infantil da cidade de Belém, Pará, Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada, nos meses de abril e maio 2016, e submetidos à técnica de análise de conteúdo temática. Resultados: As enfermeiras obstétricas percebem que a violência obstétrica se apresenta de diversas formas, entretanto não reconhecem determinadas práticas como uma violação. Além disso, reconhecem que a falta de conhecimento da parturiente é um elemento de vulnerabilização em relação a violência obstétrica, despontando para as repercussões do fenômeno à vida da mulher. Considerações Finais: O estudo revelou as percepções das Enfermeiras vislumbrando à necessidade de estratégias preventivas a ocorrência do fenômeno da violência obstétrica. 


Palavras-chave


Violência contra a Mulher; Enfermeiras Obstétricas; Parto Humanizado;Parto Obstétrico; Saúde da Mulher.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i1.52473 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133