DETECÇÃO PRECOCE DE DOENÇA RENAL CRÔNICA EM POPULAÇÃO DE RISCO

Fabiana Meneghetti Dallacosta, Hotone Dallacosta, Lilian Mitrus

Resumo


Objetivou-se verificar a doença renal em estágio inicial em hipertensos e diabéticos de grupos HiperDia de Santa Catarina. Estudo transversal, com coleta de dados entre julho de 2015 e julho de 2016. A doença renal foi classificada pela filtração glomerular maior ou menor que 60 mL/min/1,73m2, e calculada pela equação Crockoft-Gault. Dos 1486 participantes, 473 (31,8%) apresentaram filtração glomerular abaixo de 60 mL/min/1,73m2, 616 no estágio dois (41,5%), média de idade 63,1 (±11,8) anos, 992 (66,8%) sexo feminino, mulheres tiveram filtração glomerular menor que os homens. A idade obteve forte associação inversa com a filtração glomerular menor que 60 mL/min/1,73m2, e associação direta com a creatinina. Encontramos elevada prevalência de doença renal, especialmente no estágio dois, ratificando a importância de orientação e adequado acompanhamento dos hipertensos e diabéticos, como forma de estagnar a perda da função renal, e trabalhar com foco na prevenção e promoção da saúde.


Palavras-chave


Doença renal crônica; Hipertensão; Diabetes Mellitus; Grupos de risco.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i1.48714 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536