SEGURANÇA DO PACIENTE NO PROCESSO DE DOAÇÃO E TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS E TECIDOS

Aline Lima Pestana Magalhães, Gabriela Marcellino de Melo Lanzoni, Neide da Silva Knihs, Elza Lima da Silva, Alacoque Lorenzini Erdmann

Resumo


Objetivou-se apresentar aspectos inovadores para a prática profissional do enfermeiro, no que se refere ao diagnóstico de morte encefálica no processo de doação e transplante de órgãos e tecidos, abordando as interfaces entre a gerência do cuidado e a segurança do paciente. Enfatiza-se a padronização de processos, utilizada para promover agilidade, redução das perdas por parada cardíaca com aumento concomitante das doações reais, e diminuição do tempo entre o primeiro exame clínico e o explante. Permite que a equipe reconheça as anormalidades e faça as correções necessárias em tempo hábil. Assim, vislumbra-se que a segurança do paciente deve subsidiar as tomadas de decisão e intervenções de gestão, de modo a qualificar a prática de cuidado.

Palavras-chave


Gerência; Cuidados de enfermagem; Segurança do paciente; Obtenção de órgãos e tecidos; Transplantes.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i2.45621 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133