LESÃO RENAL AGUDA EM UNIDADE DE TRATAMENTO INTENSIVO: CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS E DESFECHOS

Jaqueline Luft, Adilson Adair Boes, Daniele Delacanal Lazzari, Eliane Regina Pereira do Nascimento, Juliano de Amorim Busana, Bruna Pedroso Canever

Resumo


Estudo quantitativo, documental, retrospectivo, que objetivou caracterizar o perfil clínico-demográfico e o desfecho de pacientes com insuficiência renal, submetidos à terapia dialítica em uma unidade de terapia intensiva adulto de um hospital geral da região sul do Brasil. Os dados foram coletados no período de janeiro a fevereiro de 2013 e a amostra, constituída por 74 prontuários. Identificou-se prevalência do sexo masculino, média de 63,43 ± 14,73 anos, o motivo clínico foi o mais frequente para internação, com uma ou mais comorbidades associadas. A lesão renal com maior prevalência foi a crônica agudizada, pré-renal. Com relação aos motivos que levaram à lesão, o choque séptico foi mais recorrente. O tratamento de escolha foi hemodiálise convencional, por cateter. O desfecho mais comum foi o óbito. Desta forma, a identificação de fatores de risco e conhecimento dos fatores associados fornece subsídios para rápida identificação de problemas e implementação de ações de enfermagem.

Palavras-chave


Pacientes internados; Insuficiência renal; Terapia intensiva; Diálise renal.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v21i2.43822 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133