FATORES DE RISCO PARA SEPSE NEONATAL EM UNIDADE DE TERAPIA: ESTUDO DE EVIDÊNCIA

Cecília Olívia Paraguai de Oliveira, Juliana Raquel Silva Souza, Regimar Carla Machado, Alexsandra Rodrigues Feijão, Nilba Lima de Souza

Resumo


Revisão integrativa da literatura com o objetivo de apresentar as principais evidências de fatores de risco para sepse neonatal em recém-nascidos internados em Unidade de Terapia Neonatal. A busca foi realizada entre os meses de julho e agosto de 2015, nas bases de dados Scientific Eletronic Library Online, SciVerse Scopus e PubMed, utilizando como descritores: fatores de risco, unidade de terapia intensiva neonatal, recém-nascido e as seguintes palavras-chaves: sepse neonatal e prematuridade. A busca totalizou 31 publicações cujos resultados mostraram que os fatores preditivos para a sepse neonatal estão associados à idade gestacional, ruptura prematura das membranas amnióticas e infecção materna. Condições de nascimento, baixo peso e prematuridade são fortes evidências para sepse. Os fatores relacionados ao ambiente da unidade de terapia intensiva neonatal contribuem fortemente para a sepse tardia.


Palavras-chave


Enfermagem neonatal; Fatores de risco; Sepse; Unidades de Terapia Intensiva Neonatal.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v21i2.42845 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133