O COTIDIANO DAS RELAÇÕES FAMILIARES COM INDIVÍDUO DEPENDENTE QUÍMICO

Keity Laís Siepmann Soccol, Marlene Gomes Terra, Danilo Bertasso Ribeiro, Joze Karlem Silva Teixeira, Daiana Foggiato Siqueira, Sadja Cristina Tassinari de Souza Mostardeiro

Resumo


Objetivou-se conhecer o cotidiano das relações familiares com um indivíduo dependente químico. Trata-se de um
estudo descritivo e com abordagem qualitativa, constituído de uma releitura em banco de dados de pesquisa sobre O cuidado
familial ao indivíduo dependente de álcool e outras drogas. Os dados foram coletados de agosto a setembro de 2011 por meio
de entrevista aberta e gravada a 11 familiares. As entrevistas foram submetidas à Análise de Conteúdo Temática e resultaram
nas categorias Dificuldades no convívio familiar eDesequilíbrio na relação familiar. Evidencia-se que a dependência química
ocasiona estreitamento dos laços de confiança nas relações intrafamiliares e pode causar o adoecimento das famílias. Concluiuse que a dependência química contribui para a deteriorização das relações familiares na qual, tanto o dependente químico,
como a sua família tornam-se escravos das drogas, sofrem preconceito e exclusão social, sendo estigmatizados pela sociedade.


Palavras-chave


Enfermagem; Transtornos relacionados ao uso de substâncias; Família; Relações familiares.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v19i1.35967 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133