SENTIMENTOS DESPERTADOS EM FAMILIARES DE PESSOAS INTERNADAS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

Vanessa Maria Spohr, Hilda Maria Barbosa de Freitas, Silomar Ilha, Glaucia Dal Omo Nicola, Claudia Zamberlan, Maria Helena Gehlen

Resumo


Trata-se de uma pesquisa exploratória, descritiva, de caráter qualitativo, desenvolvida com oito familiares de pessoas
internadas na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital de médio porte localizado na região central do Rio Grande do Sul, no
período de agosto e setembro de 2010, que objetivou conhecer os sentimentos despertados em familiares em relação ao ambiente e aos
profissionais de saúde. Os dados, coletados por meio de entrevista semiestruturada, foram analisados pelo método de análise de conteúdo
e do qual emergiram as categorias Impotência frente à hospitalização do familiar, Insegurança relacionada à proximidade com morte,
Inflexibilidade da equipe de saúde diante do familiar, eAusência de diálogo com os familiares.O cuidado aos familiares é uma necessidade
que deve se estender do desenvolvimento profissional para o cotidiano do serviço dos profissionais. Assim, torna-se possível auxiliar os
familiares no enfrentamento da doença e adaptação da hospitalização, desmistificando a associação deste ambiente ao evento da morte.


Palavras-chave


Família; Unidade de terapia intensiva; Sentimentos; Enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v18i4.34930 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536