COMPONENTES CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM HEMODIÁLISE

Reginaldo Passoni dos Santos, Daniele Laís Brandalize Rocha, Vera Hermina Kalika Koch

Resumo


Este estudo objetivou identificar os componentes clínico-epidemiológicos de crianças e adolescentes em hemodiálise e foi realizado por meio de investigação documental. Foram analisados os prontuários de todos os pacientes que realizavam hemodiálise em um hospital pediátrico do Estado do Paraná-Brasil em janeiro de 2013, utilizando um roteiro semiestruturado para o registro das informações relativas às variáveis clínico-epidemiológicas. Os resultados da análise de 22 prontuários apontaram distribuição homogênea entre os gêneros, sendo que 59,1% tinham entre 11 e 15 anos, 86,1% tempo de permanência em hemodiálise de até dois anos e 59,1% fístula arteriovenosa como via de acesso vascular. As causas mais prevalentes para a Doença Renal crônica foram anomalias congênitas do trato urológico (45,5%) e hipertensão arterial sistêmica (31,8%). Os resultados possibilitam especificar e direcionar ações de prevenção e de cuidados de enfermagem e de saúde.


Palavras-chave


Diálise renal; Saúde da criança; Saúde do adolescente; Epidemiologia; Enfermagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v19i2.33924 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133