CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM DIABETES MELLITUS: VANTAGENS E LIMITES DA MONITORIZAÇÃO

Maria Helena Dantas de Menezes Guariente, Márcia Eiko Karino, Maria do Carmo Lourenço Haddad, Francismery Kasai, Carolliny Rossi de Faria, Iria Roberta Staut Freitas

Resumo


A monitorização do controle glicêmico é partefundamental do tratamento do Diabetes Mellitus,especialmente em diabéticos tipo 1, uma vez que o controlemetabólico diminui ou até mesmo retarda complicaçõescrônicas. Com o objetivo de avaliar a prática da monitorizaçãoglicêmica entre crianças e adolescentes diabéticos foirealizada uma pesquisa descritiva na abordagem quantitativacom diabéticos atendidos em um programa interdisciplinar doAmbulatório Hospital das Clínicas da Universidade Estadualde Londrina. Aplicou-se um instrumento sobre a freqüênciade realização da monitorização e dificuldades encontradaspara sua efetivação. A amostra constituiu-se de 63 diabéticos,sendo 47 (74,6%) adolescentes e 16 (25,4%) crianças.Concluiu-se que nessa população a monitorização estáaquém do ideal. Esta informação mobiliza os profissionaisda equipe multiprofissional na continuidade do trabalho emressaltar a importância do controle glicêmico, auxiliando osdiabéticos na busca de alternativas para a superação dasdificuldades de ordem emocional, econômica e social, quedificultam a efetivação do procedimento.

Palavras-chave


Diabetes Mellitus; Criança diabética; Adolescente diabético; Glicemia; Monitorização ambulatorial.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v7i1.32556 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133