QUALIDADE DE VIDA DE HIPERTENSOS EM TRATAMENTO AMBULATORIAL

Natália Carolina Mian, Renata Cristina Gasparino

Resumo


Pesquisa descritiva e transversal que teve como objetivo identificar a qualidade de vida de pacientes hipertensos em tratamento ambulatorial. Participaram 88 pacientes hipertensos, a maioria mulheres, atendidos num ambulatório de especialidades do interior do Estado de São Paulo. Para a coleta de dados foram utilizados: uma ficha de caracterização sociodemográfica e o Mini-Cuestionario de Calidad de Vida en Hiperténsion Arterial, adaptado e validado para a cultura brasileira. A maioria dos pacientes  alegou não ser tabagista, não fazer uso de bebida alcoólica e não praticar exercício físico. A média das respostas revelou pior percepção da qualidade de vida em comparação a outros estudos. Esta pesquisa auxilia a equipe de saúde a propor intervenções para o controle da hipertensão que minimizem o comprometimento da qualidade de vida dos portadores.

Palavras-chave


Qualidade de vida; Hipertensão; Pacientes ambulatoriais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v17i3.29294 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536