CARACTERIZAÇÃO DE INTERNAÇÕES DE DEPENDENTES QUÍMICOS EM UMA UNIDADE DE REABILITAÇÃO

Aline Cristina Zerwes Ferreira, Fernanda Carolina Capistrano, Mariluci Alves Maftum, Luciana Puchalski Kalinke, Ana Lúcia Cardoso Kirchhof

Resumo


Pesquisa transversal e retrospectiva que utilizou a técnica de pesquisa documental, cujo objetivo foi caracterizar as internações de dependentes químicos em uma unidade de reabilitação. Foram coletados dados de 350 prontuários de dependentes químicos, referentes ao ano de 2010. Quanto à caracterização dos sujeitos, a média etária foi de 35,8 anos, 39,4% estavam solteiros, 67,3% cursaram até o ensino fundamental e 45,1% eram desempregados. O álcool motivou a busca por tratamento em 45,1% dos pacientes; 49,4% foram diagnosticados pela dependência de múltiplas drogas. A internação para 97,1% foi voluntária; 40,4% dos responsáveis foram os pais; a alta clínica prevaleceu em 55,4% e, após alta, 86% foram encaminhados a serviços extra-hospitalares. Dentre os participantes, 71,7% tiveram internamentos anteriores e 29,9% realizaram outros tipos de tratamento. Os resultados demonstram que é imprescindível a manutenção do tratamento após a internação para a busca da abstinência permanente.

Palavras-chave


Enfermagem; Saúde mental; Transtornos relacionados ao uso de substâncias.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v17i3.29284 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536