O MANEJO DA DOR EM CRIANÇAS COM CÂNCER: CONTRIBUIÇÕES PARA A ENFERMAGEM

Patrícia Curti Bueno, Eliane Tatsch Neves, Angelita Gastaldo Rigon

Resumo


Pesquisa qualitativa descritiva retrospectiva objetivou descrever como a Enfermagem maneja a dor na criança com câncer. Os dados foram coletados nos prontuários de crianças internadas em uma unidade especializada no tratamento do câncer de um hospital de ensino do Sul do Brasil entre maio e junho de 2008. Os dados quantitativos foram submetidos à análise descritiva e os registros de enfermagem foram organizados em um quadro sinóptico ao qual foi aplicada a análise temática. Os resultados mostraram que 47,27% das crianças apresentavam queixas de dor. O tratamento medicamentoso foi o principal para toda e qualquer manifestação de choro; métodos menos invasivos e/ou estratégias alternativas de manejo foram raros. Conclui-se que há necessidade de se estabelecer métodos de avaliação e manejo da dor, conforme a faixa etária e o nível de desenvolvimento da criança e realizar registros de enfermagem com atenção, aliando o conhecimento técnico-científico à sensibilidade e afetividade.


Palavras-chave


Enfermagem Pediátrica; Neoplasias; Dor; Registros de Enfermagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v16i2.20307 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133