A VILA, A COLÔNIA E O MUNICÍPIO: A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO PRUDENTOPOLITANO E OS LIMITES DA INTEGRAÇÃO ÉTNICA

Odinei Fabiano Ramos

Resumo


A premissa é compreender a construção do espaço territorial do município de Prudentópolis-PR e a influência da política de terras na constituição sociedade prudentopolitana.  Entende-se que tal sociedade formou-se como um amálgama cultural formulado pela cumplicidade adquirida por grupos étnicos distintos, mesmo através da rejeição ao outro. Seria importante entender, então, as fronteiras identitárias não como uma forma de rejeitar a identidade do outro, mas sim a de negociar os quadros representativos que irão definir a construção de uma nova identidade, pautada na integração étnica. Percebe-se, em Prudentópolis, a existência de uma hegemonia étnica e que definiu as representações coletivas constituintes do imaginário popular. Tais representações constituíram, através do processo de negociação da identidade, na integração de grupos étnicos antes vistos como antagônicos, o ucraniano e o polonês. Tal trabalho visa demonstrar que a formação do município de Prudentópolis constituiu elementos suficientes para compreender as negociações dessa(s) identidade(s).

Palavras-chave


Fronteira étnica; Identidade; Imigração Ucraniana; Prudentópolis

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rvx.v15i6.76896



ISSN: 1980-0614
Creative Commons License
 
O conteúdo dessa Revista está publicado sob a licença Creative Commons Attribution 4.0 International License