IDEOLOGIAS LINGUÍSTICAS: UMA BREVE ANÁLISE DA BNCC

Alexandra Nunes Santana

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo realizar uma breve análise da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Mais especificamente, o foco recai sobre a disciplina de Língua Portuguesa, com o intuito de observar que/quais ideologia(s) linguística(s) para o ensino da língua portuguesa está(ão) sendo imposta(s), já que a BNCC “é um documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagem essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica” (BRASIL, 2017, p. 7), para ser (em) trabalhada(s) em sala de aula. Para isso, visitamos alguns estudiosos, como Bagno (2007, 2011, 2013, 2014), Woolard (1998), Moita Lopes (2013), Cavalcanti (2007, 2013), Eagleton (2011), César e Cavalcanti (2007) e Milroy (2011) para a reflexão sobre ideologias linguísticas. Em relação à linguagem, baseamo-nos, principalmente, nas postulações do Círculo de Bakhtin. Diante disso, percebemos a necessidade de o/a professor/a estar atento/a à concepção de língua adotada pela BNCC e de como se dará o ensino-aprendizado da língua portuguesa nas salas de aulas do país.


Palavras-chave


BNCC; Ideologias Linguísticas; Políticas Linguísticas; Língua Portuguesa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rvx.v15i5.73228



ISSN: 1980-0614
Creative Commons License
 
O conteúdo dessa Revista está publicado sob a licença Creative Commons Attribution 4.0 International License