Open Journal Systems

A FACE OCULTA DA PRIVATIZAÇÃO E OS DESAFIOS DA GESTÃO SOCIAL DAS ÁGUAS NO ESTADO DO PARANÁ

Paulo César MEDEIROS

Resumo


A escolha da água e em especial a água-doce, como bem
natural de relevância no contexto do presente artigo, deve-se
ao fato de que seu uso pela sociedade humana ao longo da
história representou a possibilidade da sobrevivência. O
conhecimento das dimensões, histórica, ecológica, política,
econômica, social, tecnológica, institucional, jurídica e
ambiental que envolvem a gestão social deste bem natural é
indispensável a cada cidadão, sendo uma condição sine qua
non para o desenvolvimento de processos de gestão social
da água para o enfrentamento das demandas promovidas
pela “Indústria da Água” em sua escala global de privatizações
dos reservatórios e sistemas de abastecimento na escala local
na Companhia de Saneamento do Estado do Paraná.

Palavras-chave


Água; gestão social; privatização; território

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, H. Água já é um bem escasso na América Latina.p. 1,Gazeta Mercantil – Latino Americana, Brasil, 2001.

ANDREOLI, C. Mananciais de abastecimento: planejamentoe gestão – estudo de caso do altíssimo Iguaçu. Curitiba :Sanepar/Finep, 2003.

BARLOW, M.; CLARKE, T. Ouro azul: como as grandescorporações estão se apoderando da água doce do nossoplaneta. São Paulo: M. Books do Brasil, 2003.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Disponível em:

BRASIL. Conselho Nacional de Recursos Hídricos. Disponívelem:

BRASIL. Conselho Nacional de Recursos Hídricos. Políticanacional de recursos hídricos. Disponível em:

BRASIL. Agência Nacional de Águas. Disponível em:

BRASIL. Unesco/UM. Ano nacional da água doce.Disponívelem:

FOLADORI, G.Limites do desenvolvimento sustentável. SãoPaulo: Imprensa Oficial, 2001.

GENDER and water alliance. Disponível em: GUIA das águas brasileiras. Disponível em:

LOVELOCK, J. E. Gaia: um novo olhar sobre a vida na Terra.Lisboa/Portugal: Edições 70, 1995.

MAGALHÃES, T. A face oculta da privatização da água.Revista Princípios, São Paulo, ago./out. 1995.

MARX, K. O capital. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira,1985.

TURRA, J. M. T. Água pra que te quero: anotações sobre oensino de geografia, a água e o meio ambiente em Campinas.Cadernos do ICH, São Paulo: USP, v. 4, 1994.

SILVA, E. R.O curso da água na história: simbologia,moralidade e a gestão de recursos hídricos. Rio de Janeiro,1998. Tese (Doutorado) - Pós-Graduação em Saúde Pública,Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz.(orientador: Fermin Roland Schramm).

LEI ESTADUAL Nº 12.726/99. Ementa e dados de publicação.Política Estadual de Recursos Hídricos

LEI FEDERAL Nº 9.433/97. Ementa e dados de publicação.Política Nacional de Recursos Hídricos

UNESCO/UN.World Water Development Report. Disponívelem:




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v10i0.4977