n.7 - A PRODUÇÃO ACADÊMICA EM POLÍTICAS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL NO BRASIL (2000-2010)

Maria Aparecida Guedes Monção, Syomara Assuite Trindade

Resumo


O objetivo do artigo é mapear os estudos em políticas educacionais na área da educação infantil, em teses e dissertações, no período de 2000 a 2010. Trata-se de uma pesquisa de revisão, que analisou 57 resumos, buscando sistematizar a produção e apresentar as principais conclusões. A maior parte dos trabalhos analisados versa sobre a ampliação da oferta após a incorporação da educação infantil na educação básica. Conclui-se que, apesar dos esforços empreendidos pelo poder público, as vagas ainda são insuficientes e que a adoção de preceitos neoliberais na implementação das políticas afeta sua qualidade, especialmente com a manutenção do atendimento conveniado e a precarização das condições de trabalho dos profissionais.


Palavras-chave


Políticas educacionais; Educação infantil; Estudos de revisão

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Ana Elisa Spaolonzi Queiroz; PEREZ, José Roberto Rus. Justiça social e política educacional: extensão das vagas escolares na educação infantil. Revista Educação PUC-Campinas, Campinas, v. 18, n. 2, p.161-169, maio/ago. 2013.

BELLO, Isabel Merelo; JACOMINI, Márcia Aparecida; MINHOTO, Maria Angélica Pedra. Pesquisa em política educacional no Brasil (2000-2010): uma análise de teses e dissertações. Práxis Educativa (UEPG online), v. 9, p. 369-393, 2014.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília, DF, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Indicadores da qualidade na educação infantil. Brasília, DF: MEC/SEB, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. 2 v. Brasília, DF: MEC/SEB, 2006.

CAMPOS, Maria Malta; FÜLLGRAF, Jodete; WIGGERS, Verena. A qualidade da educação infantil brasileira: alguns resultados de pesquisa. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 127, p. 87-128, 2006.

CAMPOS, Maria Malta; HADDAD, Lenira. Educação infantil: crescendo e aparecendo. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 80, p. 11-20, fev. 1992.

CAMPOS, Maria Malta; MACHADO, Maria Lúcia. Consulta sobre qualidade na educação infantil: o que pensam e querem os sujeitos deste direito. São Paulo: Cortez, 2006.

CAMPOS, Maria Malta; ROSEMBERG, Fúlvia. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças. 6. ed. Brasília, DF: MEC/SEB, 2009.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília, DF, 2009. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2018.

CORREIA, Maria Aparecida Antero. Educação infantil de 0 a 3 anos: um estudo sobre demanda e qualidade na região de Guaianazes, São Paulo. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

DIAS, Suely Rispamonti Calazans. O papel da equipe gestora na organização do trabalho pedagógico nas creches conveniadas do município de São Paulo. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação)  Universidade Cidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

DOMICIANO, Cássia Alessandra; FRANCO, Dalva de Souza; ADRIÃO, Theresa. Educação infantil de zero a três anos. Revista Retratos da Escola, Brasília, DF, v. 5, n. 9, p. 309-327, jul./dez. 2011.

FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Política de regulação, pesquisa e pedagogia na educação infantil, primeira etapa da educação básica. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92  Especial, p. 1.013-1.038, out. 2005.

FERNANDES, Fabiana Silva; CAMPOS, Maria Malta. Gestão na educação infantil: um balanço de literatura. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, n. 1, p. 139-167, jan./mar. 2015.

FRANCO, Maria A. Ciavatta. Lidando pobremente com a pobreza: análise de uma tendência no atendimento a crianças “carentes” de 0 a 6 anos de idade. In: ROSEMBERG, Fúlvia (Org.). Creches. São Paulo: Cortez, 1989. p. 179-215.

INAFUKU, Marcela. A expansão de vagas em creches: a complexidade do diálogo entre o poder judiciário e a administração pública. Dissertação (Mestrado profissional Formação de Gestores Educacionais) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Cidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

KISHIMOTO, Tizuko M. O sentido da profissionalidade para o educador da infância. In: BARBOSA, Raquel Lazarri L. (Org.). Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: Edunesp, 2004. p. 329-345.

KRAMER, Sonia. Formação de profissionais de educação infantil: questões e tensões. In: MACHADO, Maria Lúcia de A. (Org.). Encontros e desencontros em educação infantil. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005. p. 117-132.

KRAMER, Sonia; NUNES, Maria Fernanda. Gestão pública, formação e identidade de profissionais de educação infantil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 37, n.131, p. 423-454, ago. 2007.

MAINARDES, Jefferson; TELLO, C. A pesquisa no campo da Política Educacional: explorando diferentes níveis de abordagem e abstração. Archivos Analíticos De Políticas Educativas / Education Policy Analysis Archives, v. 24, p. 1-17, jul. 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2018.

PARO, Vitor Henrique. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã, 2001.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A pesquisa em educação infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia. 1999. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

ROCHA, Eloisa Acires Candal; SILVA FILHO, João Josué da; STRENZEL, Giandréa Reuss (Org.). Educação infantil (1983-1996). Coordenação de Eloisa Acires Candal Rocha. Brasília, DF: MEC/Inep/Comped, 2001. (Série Estado do Conhecimento, 2). Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2018.

ROSEMBERG, Fúlvia. Organizações multilaterais, Estado e políticas de educação infantil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 115, p. 25-63, 2002.

ROSEMBERG, Fúlvia. Políticas públicas e qualidade da educação infantil. In: SANTOS, Marlene Oliveira dos; RIBEIRO, Maria Izabel Souza (Org.). Educação infantil: os desafios estão postos: e o que estamos fazendo? Salvador, Sooffset, 2014.p.169-185.

SILVA, Antonia Almeida (Coord.). A produção acadêmica em políticas educacionais no Brasil: características e tendências (2000-2010). [banco de dados]. Feira de Santana: Universidade Estadual de Feira de Santana, 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2018.

SILVA, Antonia Almeida; JACOMINI, Márcia Aparecida; SCAFF, Elisangela A. S. Políticas públicas e políticas educacionais: percursos históricos, interfaces e contradições das produções na década de 2000. Revista HISTEDBR, on-line, v.16, p.254-273, 2016.

SILVEIRA, Adriana Aparecida Dragone. Atuação do Tribunal de Justiça de São Paulo com relação ao direito de crianças e adolescentes à educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 50, p. 353-497, 2012.

SOUZA, Ângelo Ricardo de. A pesquisa em política educacional no Brasil: de que estamos tratando? Práxis Educativa (UEPG Online), v.9, p.355-367,2014.

STRENZEL, Giandréa Reuss. A produção científica sobre educação infantil no Brasil nos programas. de pós-graduação em Educação. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 23., 24-28 set. 2000, Caxambu. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro: ANPED, 2000. Disponível em: . Acesso em: 2 jun. 2018.

VOSGERAU, Dilmeire Sant’anna Ramos; ROMANOWSKI, Joana Paulin. Estudos de revisão: implicações conceituais e metodológicas. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 14, n. 41, p. 165-189, jan./abr. 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v13i0.64423

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Publicado pelo Núcleo de Políticas Educacionais (NuPE) e pela linha de pesquisa em Políticas Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFPR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Published by Educational Policies Research Centre (NuPE) and by Educational Policy Research Group at Graduate Program in Education (PPGE / UFPR), Federal University of Paraná (UFPR), Brazil.

Publicado por el Núcleo de Política Educativa (NuPE) y por la línea de investigación en Políticas Educativas del Programa de Posgrado en Educación (PPGE / UFPR), de la Universidad Federal de Paraná (UFPR).

 Contatos: +55 41 35356264

E-mail: jpe@ufpr.br