Visiones Dominantes de la Política Educacional en la Transición Chilena hacia la Democracia (1990 - 2010)

Sebastián Donoso Diaz, Moyra Castro-Paredes, Giselle Davis-Toledo

Resumo


O texto descreve em forma suscinta os principais componentes das visões dominantes da política educacional chilena no período recenté de transição pós-ditadura, que vai do ano de 1990 até começos de 2010, coincidindo com os quatro governos que em forma sucessiva a coalização política denominada “concertación de Partidos por la Democracia” ganhou as eleições presidenciais, até que em março de 2010 assumiu a coalizão de direita que governará até março de 2014. A revisão dos enfoques da política educacional é relevante para compreender os sucesos ocorridos, como também dá conta de algumas determinantes que incidem nas propostas de políticas hoje em curso, permitindo delinear os desafíos que se avizinham. Em essência, aponta que esses vinte anos se caracterizaram pelas tensões e conflitos entre uma visão de estado social e uma neoliberal, a que não se resolve senão até a segunda década analisada, com o predominio da visão neoliberal.


Palavras-chave


Política educacional; Chile; Transição democrática; Visões contrapostas de sociedade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v6i12.32276

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Publicado pelo Núcleo de Políticas Educacionais (NuPE) e pela linha de pesquisa em Políticas Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFPR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Published by Educational Policies Research Centre (NuPE) and by Educational Policy Research Group at Graduate Program in Education (PPGE / UFPR), Federal University of Paraná (UFPR), Brazil.

Contatos: +55 41 35356264

E-mail: jpe@ufpr.br