ARQUEOLOGIA E VALORIZAÇÃO DA ILHA SAINT-BARNABÉ (RIMOUSKI, QUÉBEC): DA MATERIALIZAÇÃO DE UM MITO À PERFORMANCE ARQUEOLÓGICA

Manon Savard, Nicolas Beaudry

Resumo


Este artigo estuda a evolução dos objetivos, das expectativas e dos interesses dos diferentes atores de uma experiência de intervenção arqueológica de longo prazo realizada no contexto universitário. A intervenção conciliava pesquisa, ensino e valorização, buscando equilibrar estas três dimensões que alimentavam reciprocamente. Este equilíbrio permitiu responder aos interesses de cada um dos atores: os da universidade, dos professores-pesquisadores e dos estudantes, os da municipalidade e do seu órgão de promoção turística, e os do publico em geral. Ao longo do tempo, o ensino assumiu uma importância cada vez maior e a valorização progressivamente assumiu a forma de uma performance arqueológica. Os autores questionam-se sobre a viabilidade à longo prazo deste tipo de valorização.

Palavras-chave


arqueologia publica; ensino da arqueologia; valorização; performance arqueológica

Texto completo:

PDF (Français (Canada))


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/his.v66i2.60812

Licença Creative Commons Os textos da revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
 
História: Questões & Debates. ISSN: 0100-6932 e e-ISSN: 2447-8261.
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (PPGHIS-UFPR) - com apoio da da Associação Paranaense de História (APAH)

Universidade Federal do Paraná
Rua General Carneiro, 460, 7º andar
Curitiba – Paraná – Brasil - CEP: 80060-150