Uma nova paisagem açucareira: os técnicos versus os modos tradicionais de produzir açúcar na Argentina e no Brasil nas primeiras décadas do século XX

Roberta Barros Meira, Daniel Campi

Resumo


O trabalho é uma pequena introdução sobre o papel dos técnicos na circulação de saberes nos espaços açucareiros. Nele, destacamos os trabalhos do engenheiro agrícola Pablo Lavenir El cultivo de la caña y la elaboración del azúcar en las províncias de Tucumán, Salta Y Jujuy (1901) e do engenheiro Augusto Ramos A indústria do açúcar em São Paulo (1902). O uso da História da Ciência nos permite perceber nessas obras não apenas os fatores de expansão da produção açucareira em áreas até então consumidoras ou secundárias. Mas, que a ciência que gerenciou os novos modelos de produção açucareira, resultou em uma cruzada contra os antigos métodos de cultivo e fabrico do açúcar e a favor de um ambicioso projeto de fortalecimento de uma recém-criada cultura açucareira científica e seus novos atores. 


Palavras-chave


Circulação de saberes; paisagem açucareira; ciência

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/his.v68i2.57430

Licença Creative Commons Os textos da revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
 
História: Questões & Debates. ISSN: 0100-6932 e e-ISSN: 2447-8261.
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (PPGHIS-UFPR) - com apoio da da Associação Paranaense de História (APAH)

Universidade Federal do Paraná
Rua General Carneiro, 460, 7º andar
Curitiba – Paraná – Brasil - CEP: 80060-150