AS CRISES NA ACUMULAÇÃO CAPITALISTA NO CAMPO EM PITANGA/PR: IMPACTOS DA TERRITORIALIZAÇÃO DO AGRONEGÓCIO SOBRE A DINÂMICA DA AGRICULTURA CAMPONESA

Adriano Makux De Paula

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar os impactos, na sua maioria negativos, das várias fases da acumulação capitalista sobre os camponeses de Pitanga/PR, no período de 1930 a 2017. Para tanto, utilizou-se a metodologia qualitativa e os seguintes instrumentos: revisão bibliográfica, pesquisa de dados estatísticos, entrevista semiaberta e sistematização. Esta análise justifica-se por revelar como as mudanças imprimidas pelos modos de produção impactam as vidas dos sujeitos que se reproduzem em um determinado espaço. Um dos resultados encontrados foi que determinados ciclos econômicos favoreceram a economia camponesa, permitindo até o seu fortalecimento, como no caso da extração da erva-mate e criação de suínos. Por outro lado, no ciclo de fortalecimento das madeireiras e das commodities agrícolas como a soja, intensificaram-se os processos de expropriação e expulsão, deixando o processo de resistência desses importantes sujeitos cada vez mais difícil, além de intensificar a precarização das suas condições de vida.

Palavras-chave


Acumulação; Camponês; Capital; Migração.

Texto completo:

AUTORIZAÇÃO ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v15i2.77612

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Geografar ISSN: 1981-089X