MORFOLOGIA URBANA DA CIDADE DE BARREIRINHA (AM) E SISTEMAS TERRITORIAIS: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA

Rildo Oliveira Marques, Estevan Bartoli

Resumo


O objetivo do artigo é caracterizar a morfologia urbana de Barreirinha, analisando condicionantes físicos de seu sítio e aspectos históricos de sua inserção na rede urbana sub-regional. Após considerações sobre ciclos econômicos regionais, descrevemos como a mudança da sede da cidade para um braço de rio com melhor navegabilidade intensificou conexões com a metrópole Manaus e a rede urbana do Pará. Na sequência analisamos a morfologia urbana reconfigurada por sistemas territoriais: Urbano-Ribeirinho (economia popular dos bairros periféricos), e Urbano-Fluvial (ligado ao capital mercantil / setores dominantes da economia local), apresentando proposta metodológica para esse tipo de estudo. Os resultados finais salientam a relação sítio/sistemas territoriais causando reconfiguração da morfologia urbana, propiciando melhor entendimento de como as redes fluviais regionais moldam o espaço intraurbano.


Palavras-chave


Sítio urbano; espaço intraurbano; morfologia; sistemas territoriais

Texto completo:

AUTORIZAÇÃO ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v15i2.71438

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Geografar ISSN: 1981-089X