A CAÇADA DA RAINHA EM COLINAS DO SUL: UM DIÁLOGO ENTRE LUGAR E IDENTIDADES

Isabella de Faria Bretas, Maria Geralda de Almeida

Resumo


A Caçada da Rainha é uma manifestação cultural que ocorre, de maneira mais tradicional, no município de Colinas do Sul no Estado de Goiás e faz referência à época do Império Brasileiro. Os participantes se vestem de acordo com suas funções, cujas principais são: rei, rainha, imperador, soldado da guarda real entre outros. No presente artigo defende-se que essa festa, por meio dos laços dos moradores com seus símbolos, signos e representações, que passam a demarcar uma cultura singular da festividade no Estado, caracteriza a presença do lugar e por isso necessita ser identificada e espacializada. Por meio da Geografia Cultural, as manifestações culturais ganham força devido à nova abordagem sobre os sujeitos (festivos) e seus costumes, discutindo o diferente, as particularidades e os modos de representação. A importância da Caçada da Rainha está centrada na análise dos significados e o objetivo é compreendê-la nessa perspectiva. É também investigar como essa festa atua na transformação do espaço em lugar e na criação de identidades de lugar e dos sujeitos partícipes. Para a realização de tais finalidades a metodologia centrou-se no embasamento teórico e na pesquisa de campo, o que possibilitou a identificação de símbolos, sentimentos, emoções e sensações dos sujeitos. Nesse sentido refletiu-se, também, sobre a dimensão humana e sua ligação com o meio, essencial para identificar a Caçada da Rainha enquanto fator de interação entre sujeito e espaço configurado como lugar.


Palavras-chave


lugar; identidade; cultura

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v10i2.41930



Revista Geografar ISSN: 1981-089X