ANÁLISE COMPARATIVA DOS ESTILOS FLUVIAIS DO RIO SAGRADO (MORRETES/PR) PARA OS ANOS DE 2006 E 2011

Monica Kleina, Eduardo Vedor de Paula, Leonardo José Cordeiro Santos

Resumo


A fisiografia fluvial é definida a partir de princípios físicos que regulam o escoamento da água na superfície terrestre, responsáveis pela esculturação do relevo. Os rios são os principais agentes transportadores de sedimentos, que depositados formam novas feições fluviais. A bacia hidrográfica do rio Sagrado (Morretes/PR) apresenta alto grau de antropização o que, segundo Paula (2010), contribui para o significativo aporte de sedimentos ao estuário de Antonina. Utilizando como parâmetros feições de barras e ilhas, e ainda dados altimétricos, declividade, tipos de vales e sinuosidade do canal, aplicou-se a metodologia de Brierley e Fryirs (2003), intitulada River Styles, adaptada ao modelo de Lima (2010). Esta metodologia permite classificar e representar cada segmento de um rio, visando identificar seus principais atributos morfológicos. O objetivo deste trabalho foi, portanto, realizar um mapeamento das feições fluviais do rio Sagrado, para posteriormente mapear os Estilos Fluviais, indicando o comportamento deste rio. A delimitação das feições foi realizada por meio de fotointerpretação das imagens adquiridas pelo satélite SPOT-5, para os anos de 2006 e 2011, sendo as mesmas validadas em campo e mapeadas por meio do software ArcGIS 10. Por fim, foram mapeados seus Estilos Fluviais, evidenciando o comportamento do rio Sagrado como instável, bem como apontando um acréscimo de 47% na quantidade de feições mapeadas de um ano a outro. Os resultados possibilitam verificar as mudanças no contexto de evolução da paisagem, relacionada à alta produção de sedimentos da bacia.


Palavras-chave


Mapeamento, feições fluviais, instabilidade, produção de sedimentos

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v9i1.35229



Revista Geografar ISSN: 1981-089X