PRODUÇÃO DO ESPAÇO, VALORIZAÇÃO DIFERENCIAL DO SOLO E DESIGUALDADE SOCIOESPACIAL URBANA EM RIBEIRÃO PRETO-SP

Marcos Antonio Silvestre Gomes

Resumo


Neste trabalho se considera o espaço produção social, onde muitos agentes, com objetivos diferentes e contraditórios, participam desse processo. Isso reforça a ideia de que esta produção se constitui em um processo conflituoso e desigual, combinando diferentes estratégias e formas de acesso à propriedade privada e apropriação do espaço. De maneira específica, este artigo discute a produção do espaço urbano em Ribeirão Preto-SP, destacando os condicionantes históricos que permitem a compreensão das desigualdades socioespaciais observadas no período atual. Utiliza-se de análises teóricas, levantamentos de dados em órgãos públicos e privados, entrevistas com representantes do poder publico e mercado imobiliário, pesquisas de campo etc., para compreender a complexidade deste processo. Demonstra a valorização diferencial do solo nas diversas parcelas da cidade, entre 1990 e 2008, e a atuação do poder público e mercado imobiliário na consolidação desse processo, sobretudo, na produção do setor Sul como a parcela mais atrativa, mais valorizada e que mais se valoriza na cidade, o que a distingue e aparta socioespacialmente das demais parcelas da cidade.


Palavras-chave


produção do espaço urbano; valorização diferencial do solo; Ribeirão Preto.

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v6i2.21478



Revista Geografar ISSN: 1981-089X