UMA TEORIA GEOGRÁFICA PARA A ANÁLISE DA PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL NAS CIDADES HISTÓRICAS TURÍSTICAS

Everaldo Batista Costa, Francisco Capuano Scarlato

Resumo


Diante da séria corrida pela mercantilização turística das cidades históricas brasileiras, este artigo tem por objetivo apresentar um aporte teórico-metodológico para a análise desta dinâmica que ronda o patrimônio cultural destas cidades, transformando-as em sua totalidade. Esse aporte está calcado em uma abordagem geográfica crítica no intuito de aguçar o espírito crítico e investigativo de pesquisadores que pretendam se debruçar sobre esses núcleos urbanos simbólicos da formação socioespacial brasileira, hoje, envolvidos pelo processo que denominamos dialética da construção destrutiva que enreda os bens culturais do mundo. Temos como objeto empírico para esta análise teórica e crítica, Diamantina, cidade da antiga zona do ouro e zona dos diamantes, em Minas Gerais, à qual nos dedicamos em pesquisa recente. Também nos são referenciais São João Del Rei, Tiradentes, Ouro Preto e Congonhas do Campo, as quais analisamos em anos anteriores.

Palavras-chave


Valorização do Espaço; Território; Dialética da Construção Destrutiva; Cidade Histórica; Patrimônio Cultural

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v3i2.13576



Revista Geografar ISSN: 1981-089X