A Paz no Século XXI: Estados, Capital e Instituições Multilaterais versus Arbitragem Posicional, Mobilidade Diária, Redes e Multiverticalidade

Oliver P. Richmond

Resumo


A “longa paz” dos últimos vinte e cinco anos foi marcada por vários debates sobre a paz democrática-liberal, os direitos humanos e o cosmopolitismo. Esses debates estão relacionados às várias formas de intervenção – do desenvolvimento à construção da paz e à intervenção humanitária. Esse modelo de “sistema/ordem intervencionista” surgiu a partir da pressão de uma gama de diferentes frentes. Além disso, atualmente, novas tecnologias de intervenção estão emergindo nas áreas militar e humanitária. Subjacente a essas discussões está um debate inacabado sobre se o Estado e a arquitetura internacional podem, ou não, finalmente ampliarem-se para um sistema unificado de governo (ou governança) mundial. Esse artigo examina como a paz e o desenvolvimento podem ser repensados, se a versão prévia de um quadro de referência progressista (i.e. a paz liberal) está, atualmente, sendo revisto, e se a intervenção mudou para formas neoliberais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cg.v5i3.50538

Apontamentos

  • Não há apontamentos.