ESTUDO DA NÃO ADESÃO AO TRATAMENTO DA DOENÇA FALCIFORME: O CASO DE UMA FAMÍLIA

Luana Santana Brito, Evanilda Souza de Santana Carvalho, Sheila Santa Bárbara Cerqueira, Flávia Karine Leal Lacerda

Resumo


Objetivo: compreender os aspectos que influenciam a não adesão ao tratamento da doença
falciforme em uma família com vários membros adoecidos.
Método: estudo de caso único realizado com quatro irmãos com doença falciforme acompanhados
em um Centro de Referência no estado da Bahia, Brasil. Os dados foram colhidos por questionário,
entrevista aberta e desenho-estória com tema.
Resultados: os temas emergidos foram: Preconceito e discriminação promovem o autoisolamento;
Dificuldade para deslocamento impede as idas ao serviço; A unidade de saúde é um espaço que
amplia dúvidas e incertezas; Desesperança leva à desistência do tratamento.
Conclusão: amparo social, suporte emocional, instrumental e educacional são essenciais para
reduzir a vulnerabilidade da família que vivencia a doença falciforme. Conteúdos abordados nas
unidades de saúde necessitam incluir perspectivas de experiências positivas, fomentando esperança
e construção de sentidos para a vida no processo de adoecimento crônico, a fim de aumentar a
adesão ao tratamento.


Palavras-chave


Tratamento farmacológico; Cooperação do paciente; Doença crônica; Preconceito; Isolamento social.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v25i0.62908 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133