MANEJO TÉRMICO DO AR NA SECAGEM ESTACIONÁRIA E SEUS EFEITOS NO DESEMPENHO INDUSTRIAL DE ARROZ BRANCO E PARBOILIZADO

FABRIZIO DA FONSECA BARBOSA, MOACIR CARDOSO ELIAS, CARLOS ALBERTO ALVES FAGUNDES, MAURÍCIO DE OLIVEIRA, FLÁVIO MANETTI PEREIRA, RAFAEL GOMES DIONELLO

Abstract


O presente trabalho teve por objetivo estudar o uso de diferentes manejos térmicos do ar na secagem de grãos de arroz classe longo-fino, com umidade entre 17 e 22% b.u., utilizando-se secagem estacionária em silos-secadores industriais. O arroz úmido passou por cinco tratamentos de secagem: 1) em sistema alternado de insuflação-sucção, com controle operacional automatizado de umidade relativa do ar em 75%, utilizando-se ar ambiente ou aquecido mediante queima de gás liquefeito de petróleo (GLP); 2) em sistema de insuflação, com controle automatizado de temperatura em 20ºC, utilizando-se ar ambiente sem aquecimento ou ar aquecido por queima de GLP; 3) em sistema de insuflação, com ar ambiente e controle realizado pelo operador; 4) em sistema de insuflação, com controle automatizado de umidade relativa do ar em 75%, utilizando-se ar ambiente ou ar aquecido por queima de GLP; 5) em sistema alternado insuflação-sucção de ar ambiente, sem aquecimento, com controle automatizado de umidade relativa em 75%. Após a secagem, os grãos foram beneficiados pelo processo convencional de arroz branco polido ou por parboilização, sendo a seguir realizadas análises de desempenho industrial. O estudo demonstrou que o uso de insuflação de ar, aliado ao controle das condições psicrométricas do ar, resulta em menor tempo de secagem, proporcionando menores perdas na qualidade dos grãos quando comparado à insuflação e sucção alternadas e ao uso de ar ambiente sem aquecimento.


Keywords


ARROZ; GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO; PARBOILIZAÇÃO; RENDIMENTO DE ENGENHO; SECAGEM; SILO-SECADOR.



DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cep.v27i2.22038

Boletim Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos. ISSN:19839774