O BLOCO OLÍMPICO: ESTADO, ORGANIZAÇÃO ESPORTIVA E MERCADO NA CONFIGURAÇÃO DA AGENDA RIO 2016

Fernando Mascarenhas, Pedro Fernando Avalone Athayde, Mariângela Ribeiro dos Santos, Natália Nascimento Miranda

Resumo


A formação da agenda compreende um momento decisivo na formulação de políticas públicas, delimitando um objeto de intervenção governamental. Neste sentido, buscamos avaliar as relações de hegemonia que perpassam a candidatura do Rio de Janeiro à cidade sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. A pesquisa se baseou em levantamento documental construído a partir de fontes institucionais e mídia impressa, discutidos com apoio na técnica de análise de conteúdo. O tratamento e a interpretação dos dados foram organizados à luz da relacional Estado, organização esportiva e mercado, o que permitiu a caracterização do bloco olímpico, ou seja, do bloco de poder inerente aos Jogos Rio 2016.

Palavras-chave


Esporte; Políticas Públicas; Jogos Olímpicos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/alesde.v2i2.29929