EFEITO DO PROCESSAMENTO TÉRMICO E DA FORMA FÍSICA DE DIETAS PARA LEITÕES NO PERÍODO DE CRECHE

Leopoldo Malcorra de Almeida, Geovani Costa Senger, Vitor Augusto Bernardini Zavelinski, Katiucia Cristine Sonalio, Isabella de Camargo Dias, Letícia Dzierva, Alex Maiorka

Resumo


O experimento foi conduzido para avaliar o efeito da forma física e do processo térmico (peletização) da ração sobre o desempenho e o desperdício de ração de leitões durante o período de creche. Foram utilizados 40 leitões machos castrados e fêmeas, dos 21 a 62 dias de idade, distribuídos em delineamento de blocos casualizados de acordo com os seguintes tratamentos: Fa – dieta farelada e Pe – dieta peletizada. As dietas a base de milho e farelo de soja foram formuladas a fim de atender as exigências nutricionais dos animais de creche, sendo divididas em 3 fases: pré-inicial (21 aos 28 dias de idade); pré-inicial 2 (28 a 42 dias de idade) e inicial (42 a 62 dias de idade). O processo de peletização ocorreu em uma peletizadora a vapor de matriz com furos de diâmetro de 4mm. O tempo de condicionamento foi de 7 segundos com  pressão de 1,2kgf/cm2e temperatura de 50 a 60ºC, para as deitas pré-inicias, e 70 a 80ºC para a dieta inicial. Após o processo de peletização as dietas foram secas e resfriadas até atingirem temperatura de 32ºC. Os animais foram pesados aos 21 e 62 dias de idade para avaliação do ganho de peso diário (GPD). Para determinar o consumo de ração diário (CRD) e conversão alimentar (CA), tanto a ração fornecida como a sobra foram pesadas. O desperdício de ração foi avaliado nas primeiras três semanas pós desmame. Os dados foram analisados por modelos lineares generalizados mistos, considerando os blocos (peso inicial e sexo) como efeito aleatório e a baia como unidade experimental, totalizando dois tratamentos com 10 repetições de dois animais cada. Não foi verificado diferença (P=0,058; SEM=20,2) para o CRD dos animais entre as diferentes dietas, sendo 696g de consumo para Fa e 653g para Pe, no entanto, os animais recebendo a dieta Fa apresentaram desperdício (P<0,01; SEM=0,021) de 57% a mais (200,9 g vs. 87,4 g/animal) em relação aos leitões consumindo a dieta Pe, durante o período avaliado. O GPD dos animais não foi influenciado (P=0,119, SEM=14,7) pelo processamento térmico da dieta (Fa: 408g vs. Pe: 437g), entretanto, este processo influenciou a CA dos animais (P<0,01; SEM=0,023), onde os leitões que receberam Pe (1,524) foram 9,2% mais eficientes em relação aos consumindo Fa (1,680). Em conclusão o uso de dietas peletizadas diminuiu o desperdício de ração dos animais e melhorou o desempenho de suínos machos e fêmeas durante o período de creche. 


Palavras-chave


desempenho; desperdício; suínos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/avs.v15i5.76312

 Creative Commons License

BASE DE DADOSScopus  Sumário.Org  Google Scholar  BASE  Dimensions  DIRETÓRIOS:  Open Air  Genamics  EZB  Diretório Luso brasileiro  ROAD  Latindex  REDIB  Journal 4-free  PORTAIS:  LiVre  Capes  Science Open  World Wide Science  ÍNDICES:  Index Copernicus  Cite Factor