USO DE NITAZOXANIDA NO TRATAMENTO DE TRICOMONÍASE EM AVES: RELATOS DE CASOS

Sofia Silva La Rocca de Freitas, Ariam Figueiredo Martinello, Cecília Haarengl de Souza Braz, Guilherme Mazocante de Oliveira, Lenon Silva Lemos de Oliveira, Maria Eduarda de Quadros Soares, Líria Queiroz Luz Hirano

Resumo


Trichomonas sp. é um protozoário flagelado causador da tricomoníase. Esse parasita afeta principalmente os tratos digestivo superior e respiratório de aves, com ocorrência comum em espécies das ordens Columbiformes, Falconiformes e Psittaciformes (SILVA, 2017). O objetivo do presente trabalho é relatar três casos resolução da tricomoníase em aves tratadas com nitazoxanida. Foram atendidos no Setor de Animais Silvestres do Hospital Veterinário da Universidade de Brasília, dois espécimes de Caracara plancus e um de Ramphastos tocos, jovens e de sexo indeterminado. Ao exame físico, os dois carcarás se apresentavam em estação e resistiram à manipulação, enquanto o tucano se mostrou pouco responsivo e apático. Os animais apresentavam placas caseosas esbranquiçadas em cavidade oral as quais foram coletadas através de swab estéril e enviadas para exame parasitológico, com confirmação da presença de Trichomonas sp. Na abordagem inicial todos receberam fluidoterapia com ringer lactato (3% do peso vivo, SC, SID) durante três dias. No primeiro exemplar de carcará, a primeira abordagem terapêutica  para tricomoníase foi realizada com metronidazol 50mg/mL (50mg/kg, VO, SID), porém não se mostrou efetiva, dado que o segundo exame parasitológico apontou a persistência do protozoário. Como segunda abordagem terapêutica foi realizada a administração de nitazoxanida 20 mg/mL (42mg/kg, VO, BID) durante sete dias, concluindo o tratamento do animal com êxito. O outro exemplar de carcará e o tucano foram tratados unicamente com nitazoxanida 20mg/mL (42mg/kg, VO, BID) durante sete dias logo após o primeiro resultado positivo para o parasita, com resolução rápida da infestação.  As aves permaneceram no hospital para melhor recuperação de escore corporal e, quando consideradas aptas, foram encaminhadas ao CETAS-DF para destinação. A tricomoníase é transmitida de forma direta pelo contato entre os animais sadios e os carreadores, por ingestão de água, alimento e fômites.  Dito isto, populações de animais silvestres são extensivamente afetadas devido à alta circulação nos ambientes e o compartilhamento de espaços durante forrageamento. A prevalência de Trichomonas sp. em aves de rapina de vida livre também seria justificada por seus hábitos alimentares devido à predação de columbiformes, que podem carrear o protozoário sem apresentarem sinais clínicos. Existem poucos relatos de tricomoníase em tucanos, mas são mais escassos. A nitazoxanida possui atividade antimicrobiana de amplo espectro, sendo uma medicação eficaz contra helmintos e protozoários intestinais. Sua ação está relacionada ao bloqueio da reação de transferência de elétrons dependente da enzima piruvato-ferredoxina oxidoredutase, essencial para o metabolismo anaeróbico. Este princípio ativo e seu metabólito ativo tizoxanida são capazes de inibir o crescimento de formas trofozoítas de Trichomonas sp. in vitro. Ainda são escassos estudos acerca do uso da nitazoxanida no tratamento de tricomoníase em aves (EEDIC, 2016), por isso, relatos como o presente são importantes como fonte de informações para opções terapêuticas na medicina de animais silvestres. Nos casos descritos, o uso de nitazoxanida foi eficaz no tratamento de tricomoníase de dois exemplares de carcará e um de tucano, e pode ser considerado como opção de tratamento para demais aves.


Palavras-chave


carcará; protozoário; trichomonas; tucano

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/avs.v15i5.76309

 Creative Commons License

BASE DE DADOSScopus  Sumário.Org  Google Scholar  BASE  Dimensions  DIRETÓRIOS:  Open Air  Genamics  EZB  Diretório Luso brasileiro  ROAD  Latindex  REDIB  Journal 4-free  PORTAIS:  LiVre  Capes  Science Open  World Wide Science  ÍNDICES:  Index Copernicus  Cite Factor