INVESTIGAÇÃO DO CONHECIMENTO DE PESSOAS INFECTADAS POR Leptospira spp. E DA SOROPREVALÊNCIA, LEPTOSPIRÚRIA E LEPTOSPIREMIA DE SEUS CÃES CONTACTANTES

Leonardo Gaspareto dos Santos, Carolina Trochmann Cordeiro, Rafael Felipe da Costa Vieira, Thállitha Samih Wischral Jayme Vieira, Simone Tostes Oliveira Stedile

Resumo


A leptospirose é uma zoonose, endêmica no Brasil, que afeta diversos mamíferos, inclusive o homem. Os cães portadores assintomáticos podem transmiti-la e é provável que o número de animais nesta condição seja subestimado. Apesar de a maioria dos estudos ser baseada em resultados sorológicos, este teste não prediz se o animal apresenta leptospirúria. Para a detecção de leptospiras na urina é indicado o diagnóstico molecular por meio da reação em cadeia da polimerase (PCR). Devido à escassez de dados para avaliar o quão presentes estes cães reservatórios são e o quanto estão envolvidos na transmissão para seres humanos, este estudo teve como objetivo investigar o estado de portador renal para Leptospira spp. em cães contactantes de pessoas acometidas por leptospirose no município de Curitiba/Paraná. Sangue e urina foram coletados de 15 cães, pertencentes a oito tutores com histórico recente de leptospirose para realização de sorologia (soro-aglutinação microscópica) e PCR destas amostras. Todos os testes sorológicos dos cães foram negativos, bem como os resultados das PCR do sangue e da urina. Este resultado sugere que os cães submetidos à pesquisa não serviram como fonte de infecção, não havendo, portanto, relação entre portadores assintomáticos e tutores infectados neste estudo.


Palavras-chave


PCR; portador assintomático; reservatório; saúde pública; zoonose

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/avs.v24i4.64526